sexta-feira, 24 de novembro de 2017

EVANGELHO DO DIA


Lucas 19,45-48

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.— Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, 45Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os vendedores. 46E disse: “Está escrito: ‘Minha casa será casa de oração’. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões”. 47Jesus ensinava todos os dias no Templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo. 48Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


24/11/2017 - 6ª-feira da 33ª Semana do Tempo Comum - Sto. André Dung-Lac Presb e Comps.

- 1ª Leitura - 1Mc 4,36-37.52-59 - " O Senhor está conosco na hora da luta contra o pecado "

O povo de Israel celebrava de novo com alegria a consagração do altar do templo do Senhor, depois da vitória alcançada sobre os inimigos. Alegremente, durante oito dias eles ofereceram holocaustos e sacrifícios de comunhão e de louvor a Deus. Hoje, essa nova consagração acontece dentro do nosso coração que é o lugar onde foi erigido o altar do Senhor. Nós podemos também comemorar o triunfo do Senhor na nossa vida, quando Ele nos dá livramento às diversas situações com as quais nos deparamos. O desânimo, o medo, a tristeza, a depressão, são causados pelo estado do nosso ser pecador. O Senhor está conosco na hora da luta contra o pecado e a Sua misericórdia nos abraça, porém, será preciso que nós também, assim como o povo de Israel, façamos a nossa parte no combate aos inimigos. Quando as consequências do pecado vêm nos atingir, nós precisamos nos apossar da sabedoria de Deus para perceber o nosso real estado de pecador que nos leva ao sofrimento e a enfermidade. Nessas horas, inteligentemente, devemos nos valer do Único que nos pode ajudar a vencer a luta, Jesus Cristo. Só Ele, pelo poder Espírito Santo, fará em nós a reconstrução e a restauração do lugar santo onde o Pai quer morar. O nosso coração é, morada de Deus e é lá, diante do Seu Altar, que podemos derramar a nossa alma e expor ao Pai as nossas misérias, as nossas necessidades, o nosso pecado. Somos reconsagrados a todo instante, quando nos abandonamos à misericórdia de Deus e nos deixamos penetrar pelo Espírito Santo que nos purifica, nos santifica, nos reanima e nos devolve a alegria de viver. - Você tem se deixado ocupar pelo Espírito Santo? - Você já erigiu dentro do seu coração o Altar do Senhor? - Você já consagrou o seu coração para ser morada de Deus? - Você tem derramado o seu coração diante do Altar do Senhor? - Faça hoje essa experiência e experimente a alegria do louvor.

Salmo - 1Cr 29,10. 11abc. 11d-12a. 12bcd (R. 13b)
R. Queremos celebrar o vosso nome glorioso.

Celebramos o nome glorioso do Senhor quando reconhecemos o Seu poder e a Sua grandeza como Criador do céu, da terra e de tudo que neles há. O Nome do Senhor é santificado por nós quando nos rendemos à Sua Majestade e O adoramos como Santo. O Senhor quer nos conceder também toda riqueza, poder e glória para nos fazer participantes da Sua vida, porém, tudo isso acontece dentro do nosso coração, para o nosso crescimento espiritual.

Evangelho - Lc 19,45-48 – “O nosso coração também é casa de oração

Assim como Jesus entrou no templo de Jerusalém e de lá expulsou os vendedores que faziam da casa de Deus um lugar de “comércio”, Ele também se dispõe a entrar no nosso coração e nos ajudar a expulsar de lá, os ladrões que tentam roubar a nossa vida das mãos de Deus. Nós mesmos é que, na maioria das vezes, permitimos que os “ladrões” invadam as áreas mais nobres do nosso ser. Por meio dos nossos pensamentos, da nossa memória, imaginação, da nossa afetividade e da nossa vontade nós consentimos que os inimigos penetrem e se apossem do nosso coração. Dessa maneira nós demolimos o altar do Senhor, nos afastamos do Seu convívio, perdemos o contato com Ele e ficamos à mercê dos salteadores e ladrões. O nosso coração também é casa de oração e não de comércio. A nossa alma geme por causa da fome que sentimos, e expressa isso, por meio da impaciência, da irritação e da revolta. O motivo de tudo isso, é que nós transformamos a casa de Deus, que é o nosso coração, em morada de “bandidos” os quais nos levam para o mal. Mas Jesus deseja fazer uma varredura dentro de nós e, para isso, pede passagem. Só Ele poderá fazer essa obra em nós com o poder do Seu Espírito. Portanto, peçamos ao Senhor que nos envie o Paráclito, o Advogado, o Purificador da nossa alma para reacender em nós o zelo, o fervor, o ardor, com o fogo do Seu Amor. Só assim os inimigos, ladrões e salteadores serão banidos da nossa vida. “Vem Espírito Santo, vem fazer obra nova em meu coração, retirar o que está velho em mim, traz Salvação”. - Quais são os salteadores que tentam tirar você da intimidade com Deus? - Você quer que Jesus expulse também os “ladrões” do seu coração? Peça a Ele! - A sua casa é uma casa de oração? - Você cultiva o zelo, o ardor, o fervor pela oração? - Como está a sua oração pessoal? Ela tem feito você crescer?

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SANTO ANDRÉ DUNG-LAC E COMPANHEIROS MÁRTIRES


O Papa João Paulo II, em 1988, canonizou na verdade alguns, dos muitos ousados na fé, que se encontram entre o período de 1830 até 1870.
O Vietnã conheceu a Boa-nova de Jesus Cristo no século XVI, e o acolheu em sua integridade: “Então, entregar-vos-ão à aflição, matar-vos-ão, sereis odiados por todos os pagãos por causa do meu nome…mas quem perseverar até o fim, este será salvo”. (Mt 24,9-13)
Santo André Dung-Lac, era de família pobre, reconheceu a riqueza do Dom Sacerdotal e foi ordenado Padre em 1823; em meio às perseguições desejava ardentemente testemunhar Jesus Cristo com o martírio, pois dizia que “aqueles que morrem pela fé sobem ao céu”.
Na Ásia, iniciou-se grande perseguição aos cristãos. De 1625 a 1886, os governantes tudo fizeram para despertar o ódio e a vingança contra a religião cristã e àqueles que anunciavam o Evangelho ou tornavam-se cristãos. Mas, quanto mais os perseguiam, mais aumentava o fervor dos cristãos. Esse período culminou com a morte de 117 santos: Sacerdotes, Bispos, pais de famílias, jovens, crianças, catequistas, seminaristas, militares. Todos estes mostrando a universalidade do chamado à Santidade com o próprio sangue.
Santo André Dung-Lac e companheiros mártires, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

DOM JOSÉ ANTONIO ABRE DOMINGO O ANO DO LAICATO

Na foto, Maria José Colares, Erivaldo Barbosa e Elenisa Msquita

Com uma Missa, que será celebrada, às 18h30min, por dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo de Fortaleza, na Catedral, no Centro de Fortaleza, será aberto em nossa Capital o “Ano do Laicato”, informou Elenisa Mesquita, que participou da reunião do Conselho de Pastoral da Arquidiocese, na qual foi discutida e aprovada programação de abertura.

O “Ano do Laicato” começa no próximo domingo, 26 de novembro,  Dia de Cristo Rei, com uma celebração eucarística presidida por dom José Antonio, que voltou de uma viagem a Recife, depois de participar de uma reunião dos focolarinos. O ano terminará no dia 28 de novembro de 2018.


ASSEMBLEIA DA REGIÃO EPISCOPAL NOSSA SENHORA DOS PRAZERES



A Região Episcopal Nossa Senhora dos Prazeres realizará no dia 25 de Novembro de 2017, na Sede da Região, em Guadalajara – Caucaia – CE das 8h às 11h Assembleia. Deverão participar dois representantes do Conselho Paroquial Pastoral. A mesma será momento de avaliação das representações pastorais que fazem a Região Episcopal, agenda de 2018 e escolha dos candidatos ao Vigário Episcopal no período de 2018 a 2019. Padre Antonio Alves de Lima, Vigário Episcopal espera todos os representantes para este momento de grande importância.
Informações pelo telefone (85) 3238 9709 / 987583402 com Mazé Laurino – Secretaria da Região.

O SÍNODO DA JUVENTUDE 2018



O Conselho da Secretaria do Sínodo dos Bispos reuniu-se na quinta e sexta feira, próximo passado, no Vaticano, informa um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé. No fim do encontro o Papa Francisco anunciou a nomeação do Relator Geral na pessoa do Arcebispo de Brasília e atualmente Presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Cardeal Sérgio da Rocha. Além do Relator Geral, o Santo Padre anunciou a nomeação dos dois Secretários Especiais para o Sínodo de 2018 nas pessoas do Reverendo Pe. Giacomo Costa S.J e do Reverendo Pe. Rossano Sala S.D.B para a próxima Assembleia Ordinária do Sínodo, a realizar-se no Vaticano de 3 a 28 de outubro de 2018. Segundo a Imprensa da Santa Sé: “A compreensão da Sacrosanctum  Concilium não é de um povo qualquer que está na missa ou na liturgia apático, sem sentido, ou apenas como um mero espectador, que não entende nada do que está ali acontecendo. A visão da Sacrosantum Concilium é de um povo sacerdotal, um povo que celebra em comunidade”.
De acordo com o Portal Guaíra com informações da Agência Brasil: “O Sínodo dos Bispos de 2018 se ocupará dos problemas dos jovens e buscará adequar sua linguagem e o uso das novas tecnologias para se aproximar deles, segundo seu documento preparatório divulgado em janeiro deste ano. Para planejar os temas também foi elaborado o tradicional preparativo e um questionário que foi enviado aos Sínodos dos Bispos e aos Conselhos dos Hierarcas das Igrejas Orientais Católicas, às Conferências Episcopais, aos Discastérios  da Cúria Romana e à União de Superiores Gerais. No último mês de outubro, o papa anunciou que entre os próximos dias de 19 e 24 de março haverá uma reunião de preparação do Sínodo da qual poderão participar jovens de todo o mundo, não apenas católicos, mas também de outras confissões e jovens sem religião. O Vaticano lançou ainda um site com um questionário para jovens de todo o mundo, entre 16 e 29 anos, para conhecer melhor a juventude  e suas questões para preparar o Sínodo. O questionário consta de 40 perguntas relativas a experiências pessoais, à relação com a religião, às expectativas de futuro, de trabalho e para criar uma família, à relação com pais e outras figuras, e um amplo setor dedicados às novas comunicações e redes sociais”.
Dom Sérgio Rocha, Cardeal Arcebispo de Brasília afirmou pouco depois de sua nomeação pelo Papa: “Nossa responsabilidade é preparar a próxima Assembleia Sinodal procurando envolver toda a Igreja, especialmente os jovens (…). Nos reunimos para pensar melhor o caminho a seguir”. A figura do relator geral tem um papel de mediador, sendo responsável por introduzir e sintetizar os assuntos expostos pelos Bispos durante a reunião do Sínodo. O Conselho da Secretaria do Sínodo dos Bispos presidido pelo Papa Francisco, é formado por 15 bispos, três escolhidos diretamente pelo Papa, sendo um destes, Dom Sérgio Rocha. A respeito da preparação para a Assembleia Sinodal sobre a Juventude, prevista para outubro de 2018, o Cardeal Sérgio ressalta que o pedido do Santo Padre é que  o tempo antes do Sínodo, seja “um período de escuta de todos os jovens, dos que estão no dia a dia das comunidades aos que não tem participação da vida da Igreja”.
Brendan Coleman Mc Donald, Redentorista e Assessor da CNBB Reg. NE1

ÁRVORE DE NATAL GIGANTE É PRESENTEADA AO PAPA FRANCISCO E SE DIRIGE AO VATICANO




Vaticano, 23 Nov. 17 / 07:00 am (ACI).- Uma árvore de Natal de 25 metros proveniente da Polônia foi presenteada ao Papa Francisco e já está a caminho do Vaticano.


Segundo informou a ‘Radio Poland’ na terça-feira, 21 de novembro, “depois de um caminho longo e tortuoso, o abeto do bosque Romincka, no nordeste da Polônia, chegou aos Alpes italianos”.


A árvore foi um presente da autoridade dos bosques estatais poloneses, que só pode ser transportada durante a noite, devido ao seu grande tamanho.

Até o momento, segundo aponto o meio local, percorreu mais de 1500 quilômetros entre curvas, rotatórias, estradas estreitas e outros obstáculos.

“Está na reta final para a Praça de São Pedro, no Vaticano. A árvore de Natal está em boas condições, o que significa que nada aconteceu com esta carga gigante e preciosa”, disse Jaros?aw Krawczyk, porta-voz de Bosques do Estado da Polônia.



No dia 7 de dezembro, será realizada uma cerimônia na Praça de São Pedro, na qual acenderão as luzes da árvore e na qual o Papa Francisco estará presente.

Esta será a segunda ocasião em que o Vaticano contará com uma árvores de Natal proveniente da Polônia. Há 20 anos, o Vaticano recebeu uma árvore do centro turístico Zakopane, localizado ao sul da Polônia.

“Foi um presente que expressou agradecimento dos montanhistas poloneses ao Papa João Paulo II por uma peregrinação a sua Polônia natal”, acrescentou a rádio.

Fonte: ACI Digital

EVANGELHO DO DIA

Lucas 19,41-44

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas. Glória a vós, SenhorNaquele tempo, 41quando Jesus se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, começou a chorar. E disse: 42“Se tu também compreendesses hoje o que te pode trazer a paz! Agora, porém, isso está escondido aos teus olhos! 43Dias virão em que os inimigos farão trincheiras contra ti e te cercarão de todos os lados. 44Eles esmagarão a ti e a teus filhos. E não deixarão em ti pedra sobre pedra. Porque tu não reconheceste o tempo em que foste visitada”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE



23 /11/201 7 - 5ª-feira da 33ª Semana do Tempo Comum 

- 1ª Leitura - 1Mc 2,15-29 – “uma atitude de coragem e de fé”

Matatias e seus filhos são para nós um válido exemplo da família que, unida, permanece fiel a Deus diante dos desafios da vida. Obrigados a abandonar a sua religião para oferecerem sacrifício a outros deuses, eles, porém, numa atitude de coragem e de fé, enfrentaram as provocações e continuaram firmes, mesmo quando lhes foram oferecidos, poder, honra e riqueza. Convocado a ser o primeiro a executar as ordens do rei, por ser um líder e, assim partir na frente dos outros para a apostasia, Matatias, cheio de coragem, proclamou: “Ainda que todas as nações, incorporadas no império do rei, passem a obedecer-lhe, abandonando a religião de seus antepassados e submetendo-se aos decretos reais, eu, meus filhos e meus irmãos, continuaremos seguindo a aliança de nossos pais. Deus nos guarde de abandonar sua Lei e seus mandamentos. Não atenderemos às ordens do rei e não nos desviaremos de nossa religião nem para a direita nem para a esquerda”.
Fazendo uma reflexão e uma relação ao que se passa hoje, nos nossos dias, iremos perceber que muitas e muitas vezes nós somos, também, desafiados a nos desviar da nossa religião para obedecer aos “reis” do mundo. Hoje, isso não acontece do mesmo modo que acontecia antes, porque “a ameaça de morte” é feita de uma forma mais velada e sutil. Por isso, nós caímos tranquilamente nos contos do vigário e, findamos em aceitar o que nos é proposto, quando, “sem querer”, nós somos seduzidos (as) pelas benesses e facilidades que nos desviam dos mandamentos da Lei de Deus. É, principalmente, dentro da família, que mais acontece o contra testemunho de dispersão e evasão dos valores cristãos, quando pais e mães, líderes naturais, se distanciam do Evangelho para aderir às práticas desprezíveis que o mundo prega como normais. Não precisamos ir longe nem imaginar coisas fantasiosas. Basta somente observar quantos não abandonam a sua casa, a sua família, o aconchego do seu lar e se dedicam ao trabalho exagerado que lhes tira todo o tempo disponível; quantas mães não têm tempo para conversar com seus filhos porque estão no trabalho, nas compras (úteis ou não), na academia, no “biriba”, nas reuniões sociais! Quantos filhos e filhas que vivem alheios (as) ao que se passa dentro de casa, porque se isolam no seu mundo “virtual” e não dão uma colaboração nas necessidades dos pais! Valorizam mais os “amigos” que passam do que a família que é eterna. Isso
também é apostasia, porque a família foi criada por Deus para ser o berço da humanidade e sacrário vivo da Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo. Três pessoas e Um só Deus. Portanto, dentro da família, a exemplo da Santíssima Trindade, deve haver unidade de pensamento e de ações. Todos trabalhando pelo bem comum, servindo a Deus sem se desviar nem para a direita nem para a esquerda, não importando o que o mundo, lá fora, possa lhes ofertar. - Como está a sua família? - Vocês têm comunhão de ideais? - A quem sua família está servindo, a Deus ou ao dinheiro? - Você já teve a experiência de recusar poder, honra e riqueza para não desagradar a Deus? - Qual a lição que você tira da atitude de Matatias e seus filhos?

Salmo - Sl 49 (50), 1-2. 5-6. 14-15 (R. 23b)
R. A todos que procedem retamente, eu mostrarei a salvação que vem de Deus.

O nosso procedimento em todos os momentos da nossa vida é uma amostra de que a nossa vida está pautada, ou não, pela fidelidade à Aliança de Deus para conosco. Os que seguem os ensinamentos do Senhor e agem de acordo com as suas orientações são os Seus eleitos para formar essa aliança de amor e misericórdia. Portanto, quando o Senhor chamar toda a terra, do sol nascente ao sol poente, para o julgamento final, os que assim se portarem, podem ter o coração apascentado porque alcançaram a Salvação que vem de Deus. Façamos, então, uma avaliação do nosso procedimento, e, se ainda isso não acontece, invoquemos o nome do Senhor e ele então nos livrará, e, assim, o louvaremos e o céu será a nossa testemunha.

Evangelho - Lc 19,41-44 –“Jesus chora sobre Jerusalém”

Jerusalém, a cidade onde se situava o templo, era o centro da religião judaica. Por isso, quando se aproximou de Jerusalém e viu a cidade, Jesus começou a chorar porque notou o estado em que ela se encontrava e, previu o que poderia lhe acontecer em virtude da sua recusa em aceitá-Lo como Salvador e Messias. O povo judeu não acolheu a Jesus como o Messias mandado por Deus para ser o redentor da humanidade e nem mesmo aproveitou o tempo em que foi visitado. Hoje, Jesus se aproxima de nós e percebe o estado do nosso coração, as nossas feridas, as nossas inquietações, as nossas apreensões e o nosso desassossego. Ele verifica que o nosso interior não possui a paz oriunda do amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Vamos imaginar Jesus dizendo essas palavras para nós, hoje! Vamos pensar que Ele olha para cada um de nós, pessoalmente, e chora por causa da nossa insensatez, da nossa incredulidade, da nossa falta de confiança nas Suas promessas e das Suas ações na nossa vida! E nós, que somos hoje a Jerusalém, cidade na qual foi erigido o templo do Deus vivo, por causa da nossa incredulidade e insatisfação, o desconhecemos e, consequentemente, a paz e a felicidade, continuam escondidos aos nossos olhos. Os inimigos também hoje, nos cercam e fazem trincheiras contra nós para nos desestruturar e nos desarrumar pessoalmente e, como família de Deus. Eles tentam arrancar uma a uma as pedras que sustentam em nós o templo do Senhor, a morada do Espírito Santo. Precisamos ter consciência para compreender que o tempo é hoje e que tudo isso está acontecendo em nós, agora. A nossa atenção à Palavra de Deus, porém, fará toda a diferença, porque só Ela poderá nos colocar novamente nos trilhos. Se assim o quisermos, poderemos compreender que é este o tempo em que estamos sendo visitados e que não podemos deixá-lo passar nem vê-lo escapar de nós. Jesus deseja ardentemente olhar para nós e sorrir de alegria pela nossa disposição em aceitá-Lo de todo o coração, como o único Senhor e Salvador dos nossos muros. O inimigo não mais nos amedrontará porque o Espírito do Senhor nos guardará para o dia do feliz julgamento. Jesus é a nossa paz, Jesus é a nossa alegria.
Ele está junto de nós! - Você agora já compreende o que pode lhe trazer a paz? - Você percebe o tempo em que está sendo visitado (a) pelo Senhor? - Quando Jesus olha para você, Ele chora, ou rir? O que você percebe? - Como está o templo do seu coração? Você sente a paz de Jesus?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO CLEMENTE I


São Clemente I assumiu a Cátedra de Pedro, depois de Lino, Anacleto e com muito empenho regeu a Igreja de Roma dos anos 88 até 97.
Sobressai no seu pontificado um documento de primeira grandeza, fundamental a favor do primado universal do Bispo de Roma: a carta aos Coríntios, escrita no ano de 96.
Perturbada por agitadores presumidos e invejosos, a comunidade cristã de Corinto ameaçava desagregação e ruptura.
São Clemente escreve-lhe então uma extensa carta de orientação e pacificação, repassada de energia persuasiva, recomendando humildade, paz e obediência à hierarquia eclesiástica já então definida nos seus diversos graus: Bispos, Presbíteros e Diáconos.
Esta sua intervenção mostra que Clemente, para além de Bispo de Roma, sentia-se responsável e com autoridade sobre as outras Igrejas.
E saliente-se que, nessa altura, vivia ainda o Apóstolo São João, o que nos permite concluir que o Primado não foi de modo algum uma ideia meramente nascida de circunstâncias favoráveis, mas uma convicção clara logo desde o início. Se assim não fosse, nunca São Clemente teria ousado meter-se onde, por hipótese, não era chamado.
João, como Apóstolo de Cristo, era sem dúvida uma figura venerável. Mas era ao Bispo de Roma, como sucessor de São Pedro, que competia o governo da cristandade.
Uma tradição, que remonta ao fim do século IV, afirma que São Clemente terminou sua vida com o martírio. Seu nome ficou incluído no Cânon Romano da Missa.
São Clemente I, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

QUEREMOS DEUS 2018 TEM DATA DEFINIDA E TRAZ NOVIDADES


Queremos Deus 2018 tem data definida e traz novidades.
O Queremos Deus, tradicional evento de fé e louvor do Ceará que antecede o Carnaval, já tem data marcada para acontecer, será no dia 3 de fevereiro, a partir das 16h, no Estádio Presidente Vargas (PV), localizado no bairro Benfica, em Fortaleza. A novidade nesta edição é que o evento acontecerá em um sábado, tendo início no final da tarde, para que mais fiéis possam prestigiar esse momento de fé e crescimento espiritual. A expectativa é que cerca de 20 mil pessoas se reúnam para uma tarde/noite de muito louvor e adoração.
Um encontro que acontece há quase 30 anos e que celebra a fé em Deus por meio de pregações, música e amor ao próximo, assim é o Queremos Deus que chega a sua 29ª edição com o tema: “Sal da Terra e Luz do Mundo” (Mt 5,13-14), isso porque a CNBB celebra 2018 como o ano dos cristãos leigos e leigas sujeitos na igreja em saída a serviço do Reino.
A organização é da Família Carismática, que envolve a Renovação Carismática Católica e as Novas Comunidades. Os ingressos custarão o valor simbólico de R$ 2,00, mais 1 kg de alimento que serão doados para Santa Casa de Misericórdia e para as Promoções Humanas da RCC. As atrações ainda estão sendo confirmadas e no mais breve possível a organização do Evento estará apresentando-as ao público.
Assim como acontece todos os anos, o evento contará com a segurança pública e privada, além de agentes de trânsito. As vias próximas ao estádio serão bloqueadas e a frota de ônibus será reforçada e planejada. A recomendação é que as pessoas utilizem o transporte público ou táxis.
Assessoria de Imprensa: Jor. Tarcísio Filho (85) 8811-7794 ou (85) 9780-3319


Fonte: Site RCC - Ceará

A MISSA NOS LIBERTA DA MORTE,, DO PECADO E DO MEDO, AFIRMA O PAPA FRANCISCO




                                    Papa Francisco na Audiência Geral. Foto: Daniel Ibáñez / ACI Prensa

Vaticano, 22 Nov. 17 / 08:30 am (ACI).- Em uma nova catequese na qual refletiu sobre a Missa, o Papa Francisco se perguntou: “Essencialmente, o que é a Missa? A Missa é o memorial do Mistério pascal de Cristo. Ela nos torna partícipes na sua vitória sobre o pecado e a morte e dá significado pleno a nossa vida”.
Como Israel celebra a Páscoa de sua libertação do Egito, de seu êxodo, “Jesus Cristo, com sua paixão, morte, ressurreição e ascensão ao céu, levou a Páscoa ao seu cumprimento. E a Missa é o memorial da sua Páscoa, de seu ‘êxodo’, que realizou por nós, para nos fazer sair da escravidão e nos introduzir na terra prometida da vida eterna”.
“A Eucaristia não é uma recordação, é fazer presente aquilo que aconteceu há 20 séculos”, destacou. “A Eucaristia – continuou – nos leva sempre ao ápice da ação de salvação de Deus: o Senhor Jesus, fazendo-se pão partido por nós, derrama sobre nós toda a sua misericórdia e o seu amor, como fez na cruz, renovando o nosso coração, a nossa existência e o nosso modo de nos relacionarmos com Ele e com os irmãos”.
Em sua catequese, o Santo Padre indicou que “cada celebração da Eucaristia é um raio daquele sol sem ocaso que é Jesus ressuscitado. Participar da Missa, em particular no domingo, significa entrar na vitória do Ressuscitado, ser iluminados pela sua luz, aquecidos pelo seu calor”.
Enfatizou que, “por meio da celebração eucarística, o Espírito Santo nos torna partícipes da vida divina que é capaz de transfigurar todo o nosso ser mortal. Na sua passagem da morte à vida, do tempo à eternidade, o Senhor Jesus nos leva com Ele para fazer a Páscoa. Na Missa se faz Páscoa. Nós, na Missa, estamos com Jesus, morto e ressuscitado e Ele nos leva para frente, para a vida eterna. Na Missa nos unimos a Ele. Antes ainda, Cristo vive em nós e nós vivemos nele”.
“Seu Sangue nos liberta da morte e do medo da morte. Liberta-nos não dó do domínio da morte física, mas também da morte espiritual que é o mal, o pecado, que toma conta de nós cada vez que caímos vítima do pecado nosso ou dos outros. E então a nossa vida é sujada, perde a beleza, perde o significado, esmorece. Pelo contrário, Cristo é a plenitude da vida”.
Nesse sentido, Francisco explicou como deve ser a atitude de um cristão na Eucaristia: “Isso é a Missa, é entrar nessa paixão e ressurreição de Jesus. E quando vamos à Missa é como se fôssemos a um Calvário, é a mesma coisa”.
“Mas pensem: se vamos ao Calvário – pensemos usando a imaginação – naquele momento, nós sabemos que aquele homem ali é Jesus. Mas, nós nos permitiremos ficar conversando, tirar fotografias, fazer um pouco o espetáculo? Não! Porque é Jesus! Nós, certamente estaremos em silêncio, no choro, e também na alegria de sermos salvos. Quando nós entramos na Igreja para celebrar a Missa, pensemos isto: entro no Calvário, onde Jesus dá a sua vida por mim”.
Finalmente, o Pontífice concluiu seu ensinamento recordando como os mártires foram capazes de doar-se precisamente por sua fé em que a vitória de Cristo já é real. “Se o amor de Cristo está em mim, posso doar-me plenamente ao outro, na certeza interior de que mesmo que o outro me fira, eu não morrerei. Caso contrário, deverei defender-me. Os mártires deram a sua vida justamente por esta certeza da vitória de Cristo sobre a morte. Somente se experimentamos este poder de Cristo, o poder de seu amor, somos realmente livres para nos doar sem medo”.


Fonte: ACI Digital

PAPA NOMEIA BISPO PARA NOVA DIOCESE NA BAHIA. DOM ANTÔNIO TOURINHO NETO SERÁ O PRIMEIRO BISPO DE CRUZ DAS ALMAS


Papa nomeia bispo para nova diocese na Bahia. Dom Antônio Tourinho Neto será o primeiro bispo de Cruz das Almas
O papa Francisco erigiu nessa quarta-feira, 22 de novembro, uma nova diocese no Brasil, a de Cruz das Almas (BA). No mesmo ato, Francisco nomeou como primeiro bispo da nova Igreja particular o atual bispo auxiliar de Olinda e Recife (PE), dom Antônio Tourinho Neto.
A nova diocese nasce a partir do desmembramento do território da Arquidiocese de Salvador (BA) e vai abranger os municípios de Cabaceira do Paraguaçu, Cachoeira, Cruz das Almas, Governador Mangabeira, Maragogipe, Muritiba, Santo Amaro, São Félix, Sapeaçu e Saubara.
A sede da nova Igreja particular que fará parte do regional Nordeste 3 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está a cerca de 140 quilômetros de Salvador (BA).
Novo Bispo 
Natural de Jequié na Bahia, dom Antônio, foi nomeado bispo auxiliar de Olinda e Recife (PE) em 2014, pelo papa Francisco. Desde janeiro de 2015 ajuda dom Fernando Saburido a administrar a arquidiocese que é formada por 19 municípios, além do Arquipélago de Fernando de Noronha. A região eclesiástica tem 115 paróquias e uma população estimada em quatro milhões de habitantes.
Nascido em 9 de janeiro de 1964, em Jequié (BA), foi ordenado presbítero em 20 de janeiro de 1990.É formado em Ciências Contábeis e Psicanálise pela Sociedade Psicanalista do Estado da Bahia (SPEB). Aos 18 anos, ingressou no Seminário Central da Bahia onde obteve o título de bacharel em Filosofia. No Seminário de São José no Rio de Janeiro, cursou Teologia. Possui pós-graduação em Direito Canônico pelo Pontifício Instituto Superior de Direito Canônico do Rio de Janeiro.
Saudação
Dom Leonardo Steiner, secretário-geral da CNBB, enviou na manhã desta quarta-feira, dia 22 de novembro, mensagem de saudação a dom Antônio Tourinho Neto que assume a recém-criada diocese de Cruz das Almas (BA).
No texto, dom Leonardo lembra palavras do Santo Padre proferidas durante a ordenação episcopal em Roma: “Vigia, vigia com amor sobre toda a grei, na qual o Espírito Santo te insere para reger a Igreja de Deus”.
Leia a Mensagem:
Saudação da CNBB a Dom Antônio Tourinho Neto
Brasília, 21 de novembro de 2017
Prezado Irmão, Dom Antônio Tourinho Neto,
A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) manifesta alegria por sua nomeação como primeiro bispo da recém-criada diocese de Cruz das Almas (BA). E renova também o agradecimento ao Papa Francisco que envia pastores para nossas comunidades.
Após um período de trabalho de ajuda a dom Fernando Saburido, na Arquidiocese de Olinda e Recife (PE), a igreja lhe pede para mover-se em outra direção. Permanecendo no seu nordeste, agora a missão se apresenta com fisionomia de uma Igreja Particular. Um desafio à altura de sua capacidade de servir ao Reino.
Para celebrar sua nomeação, recorremos às palavras do papa Francisco pronunciadas na homilia de uma ordenação episcopal, em Roma: “Vigia, vigia com amor sobre toda a grei, na qual o Espírito Santo te insere para reger a Igreja de Deus. Vigia, não adormeças, vigia, sê uma sentinela, e que o Senhor te acompanhe, que Ele te acompanhe nesta vigilância que hoje te confio em nome do Pai, cuja imagem tu tornas presente; em nome do seu Filho Jesus Cristo, pelo qual foste constituído mestre, sacerdote e pastor; e em nome do Espírito Santo, que dá vida à Igreja e, com o seu poder, sustenta a nossa debilidade”.
Conte com nossas orações e desejo de, que seu pastoreio, em Cruz das Almas, seja pleno de bons frutos.
Em Cristo,
Dom Leonardo Ulrich SteinerBispo Auxiliar de Brasília (DF)
Secretário-Geral da CNBB

EVANGELHO DO DIA


Lucas 19,11-28

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 11Jesus acrescentou uma parábola, porque estava perto de Jerusalém e eles pensavam que o Reino de Deus ia chegar logo. 12Então Jesus disse:“Um homem nobre partiu para um país distante, a fim de ser coroado rei e depois voltar. 13Chamou então dez dos seus empregados, entregou cem moedas de prata a cada um e disse: ‘Procurai negociar até que eu volte’.14Seus concidadãos, porém, o odiavam, e enviaram uma embaixada atrás dele, dizendo: ‘Nós não queremos que esse homem reine sobre nós’. 15Mas o homem foi coroado rei e voltou. Mandou chamar os empregados, aos quais havia dado o dinheiro, a fim de saber quanto cada um havia lucrado. 16O primeiro chegou e disse: ‘Senhor, as cem moedas renderam dez vezes mais’. 17O homem disse: ‘Muito bem, servo bom. Como foste fiel em coisas pequenas, recebe o governo de dez cidades’.18O segundo chegou e disse: ‘Senhor, as cem moedas renderam cinco vezes mais’. 19O homem disse também a este: ‘Recebe tu também o governo de cinco cidades’. 20Chegou o outro empregado e disse: ‘Senhor, aqui estão as tuas cem moedas que guardei num lenço, 21pois eu tinha medo de ti, porque és um homem severo. Recebes o que não deste e colhes o que não semeaste’. 22O homem disse: ‘Servo mau, eu te julgo pela tua própria boca. Tu sabias que eu sou um homem severo, que recebo o que não dei e colho o que não semeei. 23Então, por que tu não depositaste meu dinheiro no banco? Ao chegar, eu o retiraria com juros’. 24Depois disse aos que estavam aí presentes: ‘Tirai dele as cem moedas e dai-as àquele que tem mil’. 25Os presentes disseram: ‘Senhor, esse já tem mil moedas!’ 26Ele respondeu: ‘Eu vos digo: a todo aquele que já possui, será dado mais ainda; mas àquele que nada tem, será tirado até mesmo o que tem. 27E quanto a esses inimigos, que não queriam que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui e matai-os na minha frente’”. 28Jesus caminhava à frente dos discípulos, subindo para Jerusalém.Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


22/11/2017 - 4ª-feira da 33ª Semana do Tempo Comum - Sta. Cecília* VgMt, memória

- 1ª Leitura - 2Mac abeus 7,1.20-31 – “ vale a pena enfrentar até “a morte” para ser fiel a Deus”


A firmeza daquela mãe que, num só dia, viu morrer sete filhos e tudo suportou valorosamente por causa da esperança que depositou no Senhor, é para nós um exemplo de confiança absoluta no Deus Criador. Mesmo diante da proposta do rei em fazer rico e feliz o seu último filho, aquela mãe se conservou fiel aos ensinamentos da sua religião e incentivou ao filho para aceitar morrer e, assim, ser digno dos seus irmãos. Fazendo um paralelo com a nossa vida, podemos também fazer uma reflexão se estamos sendo fiéis ao que a Palavra de Deus nos orienta ou se, por pouco mais, ou quase nada nos deixamos seduzir aos acenos de vida fácil. Aquela mãe estava diante da perspectiva de ter o seu filho são e salvo da morte, mas não se curvou diante das promessas do tirano. Nós também estamos sujeitos a passar por situações parecidas, por isso, precisamos ajuizar qual seria nosso comportamento diante do quadro exposto. Seria de fidelidade ou, dependendo dos apelos nos deixaríamos levar na conversa do tirano? Podemos nos vender, às vezes, por um cargo, um emprego ou algum outro benefício para nós ou nossos “filhos e filhas”. No entanto, se estivéssemos mais atentos aos ensinamentos de Deus, talvez não caíssemos em muitos “contos de fada” que são verdadeiros testemunhos de falta de fé e confiança nos planos de Deus para nós. Não podemos viver somente para esta vida, precisamos “contemplar o céu” e perceber que Deus está atento a tudo o que nos acontece e nem mesmo a morte impedirá que o Seu plano aconteça na nossa vida. Muitas vezes nós nos esquecemos de que existe Alguém que é mais poderoso do que os “reis Antíocos” de hoje e que vale a pena enfrentar até “a morte” para Lhe ser fiel. – A história dessa mãe o (a) surpreendeu? – O que você teria feito no lugar dela? – Em alguma situação na sua vida você precisou escolher entre Deus ou o mundo? – Faça uma reflexão sobre isso.


Salmo - Sl 16 (17),1. 5-6. 8b.15 (R. 15b)

R. Ao despertar me saciará vossa presença, ó Senhor!


O Senhor conhece a sinceridade do nosso coração, por isso, Ele escuta o clamor dos nossos lábios. Quando confiamos nisso, nós não tememos enfrentar os desafios da nossa vida. Enquanto aqui caminhamos estamos sujeitos a grandes combates, no entanto, nunca podemos esquecer de que o Senhor firma os nossos passos na estrada e nos protege com as suas asas. E que, um dia nos saciaremos da Sua presença. É isso que a nossa alma espera!


Evangelho - Lc 19,11-28 - “as moedas com as quais precisamos negociar”.

Subindo para Jerusalém e sabendo que iria enfrentar o momento da Sua Paixão e Morte, ressuscitar e depois subir ao céu, Jesus aproveitou a oportunidade para conscientizar aos seus discípulos do valor dos bens que Ele deixava para cada um deles. Assim Ele os alertava sobre o perigo da infidelidade e da displicência e os exortava a que aproveitassem o tempo que teriam aqui na terra para fazer
multiplicar os talentos. Essa exortação, hoje, nos convém para perceber que também recebemos de Jesus, pelo poder do Espírito Santo, as moedas com as quais precisamos negociar. Jesus vai voltar coroado como Rei e olhará para cada um de nós a procura do que Ele aqui deixou como herança para que fosse usado, multiplicado, espalhado. Jesus deixou-nos o Seu Amor que com suas consequências e sofrimentos é uma fonte jorrando perene no nosso coração de onde derivam todas as graças das quais precisamos. Cada um de nós recebeu a sua quota para o proveito comum. Esta parábola, portanto, nos leva a questionar sobre o nosso compromisso com o Senhor em relação aos dons que Dele recebemos, sobretudo, o dom da fé. Assim como cada um dos empregados do homem nobre recebeu igualmente cem moedas, nós todos também recebemos igualmente o dom da fé. Dependendo das nossas ações, este dom nos renderá bens incalculáveis que podem ser colocados à disposição do reino de Deus. A fé, nós a recebemos no nosso Batismo e quanto mais a exercitarmos mais estaremos encontrando o sentido para a nossa vida e mais progredimos. Quando desconfiamos do amor de Deus por nós, quando não experimentamos a caridade estamos escondendo a fé e terminamos por ter uma existência apagada e sem frutos. – Como está a sua fé? – Você a tem exercitado praticando atos de amor? - O que você está fazendo com o Amor que recebeu para multiplicar? - O que você considera o verdadeiro bem da sua vida? - Qual herança Jesus deixou para você? Você a tem usado e espalhado?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho