quarta-feira, 24 de maio de 2017

NOVO BISPO SE REÚNE COM DOM JOSÉ HARING E OS PADRES DE LIMOEIRO DO NORTE 9CE)




O monsenhor André Vital Felix da Silva, nomeado no dia 10 de maio, pelo papa Francisco, visitou no último fim de semana a Diocese que vai comandar a partir do dia  29 de julho, às 18 horas, na Catedral de Nossa Senhora da Conceição, em Limoeiro do Norte. Ele chegou a Fortaleza no domingo, dia 21, dormiu nesta Capital, na casa dos seminaristas de Limoeiro e viajou no dia seguinte
.


Na segunda-feira, dia 22, se reuniu com dom José Haring, bispo emérito e com os párocos e vigários das diversas paróquias, com cada um explanando a situação de sua Paróquia. Sacerdotes que participaram do encontro gostaram do novo bispo, que será ordenado no dia 8 de julho, no Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora de Fátima, em Recife.

PAPA RECEBE TRUMP E LHE DÁ DE PRESENTE ENCÍCLICA LAUDATO SI


Primeiro encontro entre Donald Trump e o Pontífice aconteceu na manhã desta quarta-feira

Da redação da Canção Nova Notícias, com Rádio Vaticano
Papa Francisco recebe o presidente dos EUA, Donald Trump, em Audiência Privada. / Foto: Reprodução CTV.
Com um aperto de mão e um sorriso de ambos, começou na manhã desta quarta-feira, 24, no Vaticano o primeiro encontro entre o Papa Francisco e o Presidente dos EUA, Donald Trump.
Atravessando uma cidade blindada desde sua chegada, na noite de ontem, Trump deixou a Villa Taverna, residência do embaixador dos Estados Unidos onde estava alojada sua delegação, e chegou ao Pátio de São Dâmaso às 08:20 (03:20 em Brasília), sob fortes medidas de segurança e uma comitiva presidencial de dezenas de automóveis.
O Presidente entrou no Estado do Vaticano através da porta do Perugino, depois de seguir pela Via da Conciliação sob os olhos de centenas de passantes e fiéis que estavam a caminho da Praça São Pedro, para participar da audiência geral.
Trump estava acompanhado de sua esposa, Melania, a filha mais velha, Ivanka, o genro, Jared Kushner, e uma delegação de cerca de 20 pessoas, 12 das quais entraram no Palácio e estiveram com o Papa.
A audiência particular, a portas fechadas, na biblioteca privada, começou às 8h33 (3h33 em Brasília) e durou 27 minutos. Foi possível ouvir Trump referir que esta era uma ‘grande honra’.
Durante a audiência, esposa e filha do Presidente dos EUA visitaram a Capela Paulina e a Sala Regia, e depois aguardaram conversando com a delegação e representantes do Vaticano em uma sala adjacente.
Em seguida, a comitiva foi chamada para o momento da troca de presentes e os habituais cumprimentos diante dos fotógrafos.
O Papa ofereceu a Donald Trump as edições em inglês da mensagem para o Dia Mundial da Paz 2017 – dedicada à não-violência -, assinada especialmente para o Presidente dos EUA; das exortações “A Alegria do Evangelho” e “A Alegria do Amor”, sobre a família; bem como do documento sobre o cuidado da casa comum, a carta encíclica “Laudato sí”, que abrange a questão ecológica.
Como é tradição em audiências a Chefes de Estado, Francisco ofereceu também um medalhão do seu Pontificado com dois ramos de oliveira entrelaçados, símbolo da paz que se sobrepõe à guerra, explicando detalhadamente o seu significado.
Por sua vez, o líder estadunidense presenteou o Papa com uma coletânea dos cinco livros escritos por Martin Luther King e uma peça do monumento de granito que honra o ativista afro-americano em Washington e uma escultura de bronze. Um dos livros, “The Strength to Love” (“A Força do Amor”, 1963), traz a assinatura de Luther King.
De acordo com nota da Casa Branca, a peça do monumento em granito é uma “homenagem à esperança, visão e inspiração do ativista para as gerações vindouras”. Com a peça e os livros, Trump também entregou uma cópia do discurso que o Papa ofereceu a uma sessão do Congresso dos EUA em setembro de 2015, na qual foi celebrado o legado de Luther King.
Já a escultura de bronze foi feita à mão por um artista estadunidense não-identificado e representa “a esperança de um amanhã pacífico”, pois evoca dois valores universais: a unidade e a resistência, ainda segundo a Casa Branca.
Antes das fotografias, Francisco cumprimentou com cordialidade Melania Trump, a quem perguntou “se já haviam comido uma pizza” e abençoou um terço que a esposa do Presidente tinha nas mãos. Também a filha, Ivanka, disse algumas palavras ao Papa, que a ouviu em silêncio.
Depois de se despedirem do Pontífice, Trump e sua delegação, incluindo o Secretário de Estado, Rex W. Tillerson, e o conselheiro de Segurança Nacional, H. R. McMaster, se reuniram com o Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, acompanhado por Dom Paul Gallagher, secretário do Vaticano para as relações com os Estados.
Segundo a programação, o Presidente e toda a delegação visitou a Capela Sistina e a Basílica de São Pedro; e na sequência, a primeira-dama foi até o Hospital Pediátrico do Menino Jesus, propriedade da Santa Sé, enquanto a filha, Ivanka, seguiu para a Comunidade de Santo Egídio, no bairro de Trastevere.
Fonte: Canção Nova Notícias

SEMANA DE ORAÇÃO BUSCA DAR PASSOS CONCRETOS NA DIREÇÃO DA RECONCILIAÇÃO DOS CRISTÃOS


A Semana de Oração pela Unidade Cristã (SOUC) este ano conclama a todos os cristãos, de todas as denominações, à unidade. Com o tema “Reconciliação: é o amor de Cristo que nos move – Celebração do 500º Aniversário da Reforma”, a iniciativa é promovida pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) e acontece entre os dias 28 de maio e 04 de junho. 
Uma oportunidade a mais para que as igrejas abordem a questão da reconciliação entre as diferentes denominações cristãs, focando na riqueza e na diversidade que há em cada uma delas e, ao mesmo tempo, conclamando para a necessidade de uma união mais plena, a SOUC é um exercício prático do ecumenismo.
Segundo o assessor da Comissão para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), padre Marcus Barbosa, a Semana deseja destacar, neste ano de comemoração dos 500 anos da Reforma, a celebração do amor e da graça de Deus por todos. “Amor e graça que nos impulsiona à unidade, à misericórdia, ao diálogo e à diversidade reconciliada”, afirma.
Ainda de acordo com ele, diante das subsequentes e profundas divisões que afligiram à Igreja, a SOUC “é uma oportunidade extraordinária para abertamente assumir as culpas pela divisão entre os cristãos e buscar dar mais alguns passos concretos na direção da reconciliação”, completa o assessor.
Em carta divulgada para a ocasião, as Igrejas-membro do CONIC destacam, em relação à temática proposta, que o amor de Cristo desperta a reconciliação e que as diferentes formas de expressar a fé em Jesus Cristo são riquezas, graça:
“Por isso, em um mundo que tem se caracterizado por diferentes formas de intolerâncias, reafirmarmos que o amor de Cristo nos reconcilia e é uma forma de mostrar que as divisões, as brigas, as violências, as desigualdades econômicas, os racismos e preconceitos nos distanciam de Deus e criam muros entre nós. O que nos aproxima é a possibilidade de nos reconhecermos como irmãos e irmãs, em Jesus Cristo é que somos um!”
Subsídios
Preparados pela Comissão Ecumênica Alemã, país considerado um dos berços da Reforma, os cadernos da SOUC já podem ser encomendados. No Brasil, o material foi adaptado pelo regional do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC) no Rio Grande do Norte. Quem quiser adquirir o material (que é pago), basta encaminhar um e-mail para: conic@conic.org.br. Para baixar o cartaz da Semana,clique aqui!
Oferta da SOUC
A oferta da SOUC simboliza o comprometimento das pessoas com o ecumenismo. É uma forma concreta de mostrar que se acredita na unidade dos cristãos. Os frutos das ofertas doadas ao longo da Semana são distribuídos, anualmente, da seguinte maneira: 40% para a representação regional do CONIC (onde houver), que é destinado a subsidiar reuniões e atividades ecumênicas locais, e 60% para o CONIC Nacional, para projetos de maior alcance. Vale lembrar que a oferta faz parte da celebração, logo, é recomendado que se faça no momento da liturgia. Ofertas também poderão ser recolhidas nos encontros temáticos, durante a Semana. Para outras informações, assim como as contas para depósito, acesse o site do conic.
Fonte: CNBB

ALERTA MÁXIMO NO VATICANO DIANTE DA VISITA DE TRUMP E APÓS ATAQUE EM MANCHESTER


VATICANO,  (ACI).- Alerta máximo de segurança em Roma e no Vaticano a poucas horas da reunião do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o Papa Francisco e depois do brutal ataque terrorista perpetrado na noite de segunda-feira por um jihadista do autoproclamado Estado Islâmico na cidade inglesa de Manchester.


Às 7h (horário de Roma), foi ativado um forte dispositivo de segurança para as 19 horas que Trump e sua comitiva (formada por cerca de 30 veículos) permanecerão na capital italiana. As áreas com maior segurança são aquelas pelas quais passará e estarão controladas por franco-atiradores e, portanto, vários bloqueios no trânsito.

Segundo a polícia, foram delimitadas três zonas de proteção e, há alguns dias, agentes de polícia com cachorros vigiam estas áreas para detectar a possível presença de explosivos.


Outra das medidas foi a retirada de lixeiras e a proibição de estacionar em áreas pelas quais a comitiva do presidente Trump se moverá.

Uma dessas zonas é formada pelas ruas limítrofes ao Vaticano. Nesta manhã, o esquadrão antibombas da Itália inspecionou uma bolsa de esportes suspeita na Via dela Conciliazione, a rua que leva à Praça de São Pedro.

A área foi isolada e a polícia pediu às dezenas de turistas que estavam ali nesse momento que se retirassem, impedindo que outros que aproximassem.

Finalmente, os especialistas comprovaram que a bolsa não continha nenhum explosivo.

Às medidas de segurança pela visita de Trump se soma agora, portanto, o novo alerta depois do atentado que deixou 22 mortos, entre os quais crianças em jovens, na Inglaterra.

O ataque aconteceu por volta das 22h30 (hora local), na Arena Manchester, ao final do show da cantora norte-americana Ariana Grande.

O grupo terrorista Estado Islâmico reivindicou a autoria do atentado através de uma mensagem publicada em sua agência de notícias Amaq.

Até o momento, a polícia britânica informou sobre a detenção de uma pessoa supostamente relacionada com esta barbárie.

Fonte: ACI Digital

AUDIÊNCIA: JESUS NOS OFERECE A "TERAPIA DA ESPERANÇA"


Cidade do Vaticano (RV) – A terapia da esperança: foi o que propôs o Papa Francisco aos cerca de 20 mil fiéis reunidos na Praça S. Pedro na Audiência Geral da quarta-feira (24/05).
 
Em sua catequese, o Pontífice comentou a experiência dos dois discípulos de Emaús, de que fala o Evangelho de Lucas. Dois homens caminhavam desiludidos após a morte de Jesus. Caminhavam tristes, porque viram morrer as esperanças que tinham depositado em Jesus, sendo a cruz erguida no Calvário o sinal mais eloquente da derrota que não tinham previsto.
O encontro de Jesus com os dois discípulos parece casual. Caminham pensativos e um desconhecido se aproxima: é Cristo, que então começa a sua “terapia da esperança”. “Quem a faz? Jesus. Antes de tudo, pergunta e escuta, pois o nosso Deus não é um Deus intrometido”, disse o Papa.
Mesmo conhecendo o motivo da desilusão, deixa que falem de sua amargura. O resultado é uma confissão que mais se parece com um refrão da existência humana: «Nós esperávamos, mas…»
“Quantas tristezas, quantas derrotas, quantas falências existem na vida de cada pessoa! No fundo, somos todos um pouco como esses dois discípulos. Quantas vezes nos encontramos a um passo da felicidade e ficamos desiludidos. Mas Jesus caminha com todas as pessoas cabisbaixas. E caminhando com elas, de forma discreta, lhes restitui a esperança.”
A verdadeira esperança passa através de derrotas. Nos Livros Sagrados, não se encontram histórias de heroísmo fácil, nem campanhas fulminantes de conquista. Deus não gosta de ser amado como um General que leva o seu povo à vitória, aniquilando os adversários. A presença do Senhor lembra uma chama frágil que arde num dia de frio e vento; e, para aparecer ainda mais frágil esta sua presença neste mundo, foi esconder-Se num lugar que todos desdenham.
Com os dois discípulos, Jesus repete o gesto fulcral da Eucaristia: tomou o pão, pronunciou a bênção e, depois de o partir, o entregou. Neste gesto está também o significado de como deve ser a Igreja: o destino de cada um de nós. Jesus nos toma, pronuncia a bênção, e espedaça a nossa vida – porque não há amor sem sacrifício – e a oferece aos outros, a todos.
O encontro de Jesus com os dois discípulos é rápido. Mas nele está todo o destino da Igreja. Nos fala que a comunidade cristã não está fechada numa cidadela fortificada, mas caminha no seu ambiente mais vital, isto é, na rua. E ali encontra as pessoas, com suas esperanças e suas desilusões. A Igreja oferece escuta a todos, para depois oferecer a Palavra de vida. E então o coração das pessoas volta a arder de esperança.
"Todos na nossa vida tivemos momentos difíceis, momentos em que caminhávamos tristes, desiludidos, sem horizonte, somente com um muro diante de nós. Jesus sempre está do nosso lado, para nos dar esperança,. Para nos aquecer o coração. Ele nos diz: vai avante, estou com você, prossiga."
O segredo do caminho que conduz a Emaús está aqui: apesar das aparências contrárias, nós continuamos a ser amados por Deus; Ele jamais deixará de nos querer bem.
“Deus caminhará conosco sempre, sempre, mesmo nos momentos mais dolorosos, nos momentos mais duros, de derrota. Ali está o Senhor. E esta é a nossa esperança, prossigamos com esta esperança, porque Ele está do nosso lado caminhando conosco, sempre!”(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

BISPOS MEMBROS DA COMISSÃO ESPECIAL DE TEXTOS LITÚRGICOS SE REÚNEM EM BRASÍLIA COM PAUTA AMPLA DE TRABALHO


Bispos membros da Comissão Especial de Textos Litúrgicos se reúnem em Brasília com pauta ampla de trabalho
A Comissão Episcopal de Textos Litúrgicos (Cetel) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciou, nesta terça-feira, 23, mais uma reunião, na sede da Conferência, em Brasília (DF), dando continuidade ao trabalho de acompanhamento e aprovação da revisão do missal romano por uma equipe de bispos e peritos.
A revisão da tradução atende a uma ordem vinda da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos através da quinta instrução Liturgiam Authenticam, de 2001, que serve de comentário sobre as traduções em língua vernácula dos textos da liturgia romana. Outro cuidado é com a linguagem poético-musical. 
O assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB, frei Faustino Paludo, explica que as Conferências Episcopais de todo o mundo estão se dedicando ao mesmo trabalho. De acordo com ele, a Conferência do Brasil já está bem adiantada no quesito, uma vez que a Cetel já está revendo a tradução da terceira edição do missal.
Nessa reunião, que vai até o dia 25, por exemplo, os bispos estão discutindo os assuntos que foram levados para apreciação na 55º Assembleia Geral da CNBB, ocorrida no mês de abril, em Aparecida (SP), entre eles, a aprovação das missas rituais, àquelas que estão unidas à celebração de alguns sacramentos e sacramentais. “Agora é a hora de analisarmos o que foi decidido na Assembleia, se há coisas a serem feitas, encaminhadas”, explica frei Faustino.
Na reunião, os bispos também terão a oportunidade de decidir sobre quais são os textos do missal que serão encaminhados a Roma. Além disso, o grupo pretende concluir o capítulo sobre os formulários das missas comuns. Por último, a Cetel pretende iniciar o trabalho de revisão dos formulários das missas para diversas circunstâncias, àquelas dedicadas à ação de graças, aos sacerdotes, aos ministros da Igreja etc.
Além do frei Faustino, participam da reunião o presidente da Comissão, dom Armando Bucciol; dom Aloísio Dilli; dom Geraldo Lyrio Rocha; dom Manoel João Francisco e padre José Weber.
Fonte: CNBB

HOMEM DESTRÓI QUATRO IMAGENS SACRA NA IGREJA


Conforme o vigário, as esculturas se encontravam na Igreja de São Benedito há, pelo menos, 80 anos

http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/logger/p.gif?a=1.1758957&d=/2.187/2.188/2.759/2.806
As pessoas que estavam rezando no Santuário ficaram atônitas com a atitude do jovem, que entrou na Igreja e passou a destruir as imagens. O rapaz foi detido pelos próprios fiéis e elevado para ao 34º Distrito Policial ( Fotos: Kid Júnior )
00:00 · 24.05.2017 por Vanessa Madeira - Repórter
A Igreja de São Benedito, situada na Avenida do Imperador, foi inaugurada em 1938 pelo arcebispo Dom Manuel da Silva Gomes. O santuário teve início como capela, no ano de 1885. Em 1968, o local passou a ter status de paróquia
Quatro imagens católicas foram destruídas ontem (23) após uma invasão à Igreja de São Benedito, no Centro de Fortaleza. O crime ocorreu por volta das 16h, quando um jovem teria adentrado o santuário, retirado as peças de seus respectivos altares e as arremessado no chão. Segundo padre Anízio Ferreira, vigário paroquial do Santuário, as imagens - que retratavam o Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, São Pedro Julião Eymard e São Benedito, padroeiro da igreja - eram raras e possuíam grande valor histórico e religioso. O acusado foi detido e levado ao 34º Distrito Policial, no Centro.
"A Igreja fica aberta para o povo fazer adoração. O rapaz entrou, se dirigiu à imagem de São Pedro e derrubou com as mãos, diante do público. Era uma peça rara, de valor inestimável. Depois, fez o mesmo com as outras. Eram imagens de mais de um metro de altura, antiquíssimas e de sentimento religioso muito grande", afirmou o padre.
Raridade
Conforme o vigário, não se sabe ao certo em que época as peças foram produzidas, mas todas se encontravam na Igreja de São Benedito há, pelo menos, 80 anos. Uma delas, a de São Pedro Julião Eymard, é oriunda da Holanda e tem caráter de raridade, uma vez que foi feita a partir de moldes não existentes no Brasil. Já a imagem de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento possuía uma redoma de vidro, também destruída durante o crime.
Padre Anízio Ferreira frisou que o responsável pela destruição das peças foi contido pelos fieis que estavam na Igreja durante a tarde e levado pela Polícia ao 34º DP. O vigário afirmou que o jovem não revelou motivações para o delito. Até o fechamento desta edição, não foi divulgado o nome do acusado e nem informações sobre os encaminhamentos da ocorrência.
Perda
Segundo o padre, o dano às imagens representa grande perda para o Santuário e para os fieis. "As imagens têm muito valor para o coração do povo de Deus, que gosta, respeita, venera e tem uma devoção muito grande", lamentou o sacerdote.
A Igreja de São Benedito foi inaugurada em 1938 pelo arcebispo Dom Manuel da Silva Gomes. O Santuário teve início como capela, no ano de 1885. Em 1968, o local passou a ter status de paróquia.

 Fonte: Diário do Nordeste 

EVANGELHO DO DIA


João 16,12-15

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João. Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


24/05/2017 - 4ª. Feira VI Semana da Páscoa

- Atos 17, 15.22—18,1 – “Deus não está longe de cada um de nós!”

Partindo da realidade que encontrou em Atenas, onde os homens eram extremamente religiosos e, no entanto, cultuavam a uma diversidade de deuses Paulo lhes anunciou o Deus Criador que fez o mundo e tudo o que nele existe, e por isso, é Senhor do céu e da terra. O Deus desconhecido a quem eles haviam erigido um altar é justamente o Deus que não é servido por mãos humanas, mas, dá vida aos homens e aos animais. Hoje também São Paulo se dirige a nós que, às vezes, por conta da nossa ignorância confundimos Deus com alguém que está à nosso dispor para resolver os nossos problemas, mas não O conhecemos. Hoje também os homens têm muita religiosidade, gostam das celebrações, seguem as tradições e os preceitos, poucos, porém, conhecem verdadeiramente a Deus. Eles cultuam um Deus desconhecido, distante, que não tem influência pessoal nas suas vidas, que não os sustenta nas dificuldades, e de quem eles não dependem. Precisamos ter consciência de que encontramos a Deus na medida em que O buscamos na oração, no recolhimento do nosso coração, na expressão do nosso louvor, pois Ele se deixa encontrar pelo homem que O busca mesmo que seja às apalpadelas. “Ele não está longe de cada um de nós, pois nele, nós vivemos, nos movemos e existimos”. Contudo, Deus não leva em conta o tempo da nossa ignorância e mesmo que tenhamos caído na idolatria e no desconhecimento do Seu Amor podemos buscá-lo dia a dia, na Sua Palavra, na Eucaristia, frequentando os lugares onde se ouve falar Dele assimilando a Sua mensagem de amor e vida nova. É tempo de abrir o coração e não olhar para trás, tempo de conversão. – Como está sendo o seu conhecimento de Deus, superficial, por ouvir falar ou você já teve uma experiência forte com o Seu Amor? – Você se considera uma pessoa “religiosa”? – Você conhece a Deus? – Você já experimenta o Seu amor? – O que o Amor de Deus o (a) faz compreender? – O que você entende por “caminhar às apalpadelas”?

Salmo 148 – “Da vossa glória estão cheios o céu e a terra”

O céu e a terra estão cheios da glória de Deus e esta é a maior razão para que nós elevemos a Ele o nosso louvor e a nossa adoração. O Senhor Deus é o motivo do louvor dos anjos e dos santos que já presenciam o esplendor da sua glória. Nesta perspectiva nós também podemos nos unir aos habitantes celestes e, desde já elevar a Ele o louvor de um povo que Lhe pertence. Todos nós, príncipes, juízes, jovens, anciãos e criancinhas, somos convocados (as) a bendizer ao Senhor que fez o céu e a terra a fim de que tenhamos a alma configurada ao modelo que Deus fez para cada um.

Evangelho – João 16, 12-15 - “não estamos aqui à mercê da sorte”

Jesus continua nos prometendo o Espírito Santo da verdade, Aquele que nos revela os planos de Deus e nos prepara até para as coisas futuras que Ele irá nos propor. Portanto, não estamos aqui à mercê da sorte, mas o Pai tem um plano para cada um de nós e o Espírito Santo é quem nos ajuda a realizar tudo conforme a Sua vontade. Por isso mesmo é que as coisas que Jesus tem a nos dizer só nos serão compreensíveis quando nos apossamos do Espírito da verdade que Ele já nos enviou e nos convence da verdade. O Espírito Santo é Aquele que nos dá o conhecimento da vontade do Pai e dos Seus projetos para a nossa vida. Somente Ele é capaz de nos fazer compreender a Palavra, as moções, os fatos e acontecimentos e até as coisas que estão por vir. Deus vive no nosso coração e o Seu Espírito nos conduz. Enquanto não nos deixamos mergulhar no Espírito Santo, nós, como os discípulos de Jesus, não seremos capazes de compreender as revelações do Senhor em relação à nossa vida, à nossa missão e, também para as nossas realizações pessoais e na nossa família. Jesus e o Pai são Um e têm em Si o entendimento perfeito do que é bom para cada um de nós. Nós podemos perceber as Suas revelações por meio da Sua Palavra, mas também por intermédio de pessoas que são Seus mensageiros para nós. Seremos seus fiéis seguidores se acolhermos as Suas orientações de coração sem dúvidas nem questionamentos. Assim agindo nós faremos o teste da obediência a Deus por intermédio dos homens e a consequência disso, será uma vida harmoniosa com Deus, conosco e com os nossos irmãos e irmãs. Quando obedecemos às ordens de Deus nos submetendo à orientação das pessoas que Ele coloca à nossa frente para nos conduzir, nós caminhamos com mais segurança e em harmonia com a Sua vontade. - Você crê que o Pai tem um plano para si e que através do Espírito Santo Ele está elaborando o seu coração para tudo acontecer como Ele quer? - Você consegue assimilar o que Jesus lhe fala? – Você reconhece a vontade do Pai nos fatos e acontecimentos da sua vida? – Você é dócil à condução das pessoas que o Senhor colocou perto de si?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO VICENTE DE LÉRINS


Nascido no norte da França, São Vicente de Lérins, viveu sua juventude em busca das vaidades do mundo e tornou-se militar.
Vicente ao encontrar-se com Deus e se converter, foi se tornando cada vez mais obediente à Palavra do Senhor. Amou a Palavra de Deus.
Entrou para a vida monástica, tornando-se um exemplo de monge. Aprofundou-se nos mistérios de Deus, tornando-se um grande pensador, teólogo e místico. Combateu muitas heresias no século V. Eleito Abade, o Mosteiro de Lérins tornou-se um lugar de forte formação para santos e bispos da Igreja.
São Vicente foi um homem doutorado na graça, defensor da verdade e que se consumiu pelo Evangelho.
São Vicente de Lérins, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

terça-feira, 23 de maio de 2017

PASCOM PAROQUIAL DO PIRAMBU REALIZA ENCONTROS DO DIA MUNDIAL DAS COMUNICAÇÕES


A Pastoral de Comunicação da Paróquia Nossa Senhora das Graças – Pirambu, da Arquidiocese de Fortaleza, realizou durante a primeira quinzena de maio o tríduo em comemoração ao 51º Dia Mundial das Comunicações Sociais. Seguindo as orientações dos subsídios preparado pela Comissão para a Comunicação Social do Regional CNBB Ne 1, nossa Pascom realizou três encontros (sempre as quartas-feiras) na Capela Sant’ana de nossa Matriz. Contando com a presença de membros de nossa pastoral. Foram aprofundados os seguintes temas:
Dia 03/05 – A Boa Noticia é Jesus Cristo, o Filho de Deus.
Tendo a coordenação de Alex Ferreira
Dia 10/05 – A confiança na semente do Reino
Tendo a coordenação de Emerson Guilherme
Dia 17/05 – Os horizontes do Espírito
Tendo a coordenação de Alison Silva
No próximo dia 03/06 realizaremos a Celebração Mariana, que também faz também do subsidio preparado pela Comissão Regional. Na ocasião contaremos com a presença da Pastoral de Liturgia, Pastoral da Acolhida e Acólitos de nossa paróquia.
Alex FerreiraComissão para a Comunicação Regional CNBB Ne 1
Pascom Pirambu
 

PESAR DO PAPA PELAS VÍTIMA DE MANCHESTER: ATAQUE BÁARBARO


Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco manifestou seu pesar pelas vítimas do atentado perpetrado por um camicase, nesta segunda-feira (22/05), em Manchester, Inglaterra, onde 22 pessoas morreram, incluindo crianças e adolescentes, e 59 ficaram feridas.
 
O atentado ocorreu no final do show da cantora teenager estadunidense Ariana Grande que faz muito sucesso entre crianças e adolescentes.
Telegrama do Papa 
“Uma ataque bárbaro. Um ato de violência sem sentido”, afirma o Papa Francisco no telegrama assinado pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin.
  O Pontífice manifesta seu pesar pelo atentado que causou a “trágica perda de vidas”. Elogia os “esforços generosos dos socorristas e agentes de segurança, e oferece suas orações pelos feridos e por todos os que morreram”. 
O Santo Padre recorda de forma particular “as crianças e os jovens que perderam a vida e suas famílias”, e pede a Deus para que conceda paz e força a toda a nação.
Arcebispo de Westminster
Mensagens de solidariedade e oração chegaram também de vários outros líderes religiosos do mundo. O Arcebispo de Westminster, Cardeal Vincent Nichols, Presidente da Conferência Episcopal da Inglaterra e Gales, escreveu uma carta ao Bispo da Diocese de Salford, Dom John Arnold, a qual pertence a cidade de Manchester.
“Foi com grande pesar que ouvi da imprensa as notícias sobre a atrocidade vivida na noite passada em Manchester. Que Deus conceda força e fé a todos aqueles que perderam seus familiares, aos feridos e pessoas que ficaram traumatizadas. Que Deus acolha em sua misericórdia todos os que morreram, converta os corações daqueles que cometem o mal e faça com que entendam o seu desejo e suas intenções para a humanidade.”
“Choramos a perda de tantas vidas humanas e rezamos pelo descanso eterno de todas as vítimas”, concluiu o Cardeal Nichols.
O Estado Islâmico reivindicou nesta terça-feira a autoria do ataque suicida. A polícia britânica deteve um jovem de 23 anos por suspeita de conexão com o atentado. 
Arcebispo de Armagh 
O Arcebispo de Armagh, Dom Eamon Martin, Primaz da Irlanda, enviou uma mensagem para expressar a solidariedade do episcopado na oração e de todos os irlandeses à cidade de Manchester. “Este ataque terrível nos desafia a nos comprometer na construção da paz, da solidariedade e da esperança em todo lugar”, afirma na nota. 
Arcebispo de Mumbai
O Presidente da Federação das Conferências Episcopais Asiáticas, Cardeal Oswald Gracias, Arcebispo de Mumbai, na Índia, manifestou pesar em nome da Igreja na Ásia: “O nosso coração sofre com as famílias e pedimos a Deus para que as console.”
O purpurado renova “a oração pela paz a Nossa Senhora de Fátima a fim de que a paz possa nascer de nossos corações, na luta entre o bem e o mal”. 
“Rezemos com mais fervor pela paz em nosso mundo. Rezemos também para que através da intercessão de Nossa Senhora de Fátima Deus possa tocar os corações dos autores dessa violência, que possa ter fim a destruição e a violência. Nunca devemos perder a nossa esperança pela paz. O mal não vencerá jamais. A paz é a única resposta. A paz que é dom de Deus”, concluiu o Gracias.
Bispo anglicano de Manchester
O bispo anglicano de Manchester, David Walker, condenou o atentado num comunicado divulgado esta manhã. “Um dia para chorar os mortos, rezar com suas famílias e feridos, e reiterar a nossa determinação a fim de que não sejamos derrotados por aqueles que matam e destroem.”
Segundo a Agência Sir, o bispo fez um apelo inter-religioso “a todas as Igrejas da cidade para que encontrem tempo e espaço para quem deseja um momento de oração”. 
“Como outras grandes cidades, Manchester é um alvo claro para os terroristas”, disse ele, “mas o que torna este último atentado particularmente horrível é a escolha deliberada de um concerto em que estariam presentes muitos jovens fãs”. 
O bispo Walker recordou também as “muitas vidas que foram ceifadas para sempre por essa tragédia” e disse que “a raiva que se sente diante desses fatos trágicos deve ser transformada em força para o bem”. (MJ)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAPA FRANCISCO: CONVERTER-SE É PASSAR DE UM ESTILO DE VIDA MORNO AO ANÚNCIO ALEGRE DE JESUS





Cidade do Vaticano (RV) - Muitas pessoas consagradas foram perseguidas por terem denunciado atitudes de mundanidade: o espírito mau prefere uma Igreja sem risco e morna. Foi o que disse o Papa Francisco na homilia da Missa celebrada na Casa Santa Marta.
 
Em sua homilia, o Pontífice comentou o capítulo 16 dos Atos dos Apóstolos, que narra Paulo e Silas em Filipos. Uma escrava que tinha um espírito de adivinhação começou a segui-los e, gritando, os indicou como “servos de Deus”. Era um louvor, mas Paulo, sabendo que esta mulher estava possuída por um espírito maligno, um dia o expulsou. Paulo – notou o Papa – entendeu que “aquele não era o caminho da conversão daquela cidade, porque tudo permanecia tranquilo”. Todos aceitavam a doutrina, mas não havia conversões.
Muitos consagrados perseguidos por terem dito a verdade
Isto se repete na história da salvação: quando o povo de Deus estava tranquilo, não arriscava ou servia - não "digo aos ídolos" - mas "à mundanidade", explica Francisco. Então o Senhor enviava os profetas que eram perseguidos "porque incomodavam", como ocorreu com Paulo: ele entendeu o engano e mandou embora esse espírito que, apesar de dizer a verdade – isto é, que ele e Silas eram homens de Deus - no entanto, era "um espírito de torpor, que tornava a igreja morna". "Na Igreja - afirma - quando alguém denuncia tantos modos de mundanidade é encarado com olhos tortos, não deve ser assim, melhor que se distancie":
“Eu lembro na minha terra, tantos, tantos homens e mulheres, consagrados bons, não ideólogos, mas que diziam: ‘Não, a Igreja de Jesus…’ – ‘Ele é comunista, fora!’, e os expulsavam, os perseguiam. Pensemos no beato Romero, não?, o que aconteceu por dizer a verdade. E muitos, muitos na história da Igreja, também aqui na Europa. Por quê? Porque o espírito maligno prefere uma Igreja tranquila sem riscos, uma Igreja dos negócios, uma Igreja cômoda, na comodidade do torpor, morna”.
No capítulo 16, se fala ainda dos patrões dessa escrava, que ficaram bravos com ela porque não podiam mais ganhar dinheiro às suas custas por ter perdido o poder de adivinhação. O Papa destacou que “o espírito maligno sempre entra pelo bolso”. “Quando a Igreja está morna, tranquila, toda organizada, não existem problemas, mas olhem onde há negócios”, afirmou Francisco.
Mas além do dinheiro, há outra palavra ressaltado pelo Pontífice, que é a “alegria”. Paulo e Silas são arrastados pelos patrões da escrava diante dos juízes, que ordenaram que fossem açoitados e levados à prisão. O carcereiro os leva para a parte mais escondida da prisão. Paulo e Silas cantavam. Por volta da meia-noite, há um forte tremor de terremoto e todas as portas da prisão se abrem. O carcereiro está para se matar antes que fosse assassinado por ter deixado os prisioneiros escaparem, mas Paulo o exorta a não se machucar, porque – disse – “estamos todos aqui”. Então o carcereiro pede explicações e se converte. Lava as feridas deles, é batizado e fica cheio de alegria”:
“E este é o caminho da nossa conversão diária: passar de um estado de vida mundano, tranquilo, sem riscos, católico, sim, sim, mas assim, morno, a um estado de vida de verdadeiro anúncio de Jesus Cristo, à alegria do anúncio de Cristo. Passar de uma religiosidade que olha demasiado para os lucros para uma religiosidade de fé e de proclamação: ‘Jesus é o Senhor’”.
Este é o milagre que o Espírito Santo faz. O Papa exortou então a ler o capítulo 16 dos Atos para ver como o Senhor “com os seus mártires” leva a Igreja para frente: 
“Uma Igreja sem mártires não dá nenhuma confiança; uma Igreja que não se arrisca provoca desconfiança; uma Igreja que tem medo de anunciar Jesus Cristo e afugentar os demônios, os ídolos, o outro senhor, que é o dinheiro, não é a Igreja de Jesus. Na oração pedimos a graça e também agradecemos o Senhor pela renovada  juventude que nos dá com Jesus e pedimos a graça que ele mantenha esta renovada juventude. Esta Igreja de Filipos foi renovada e tornou-se uma Igreja jovem. Que todos nós tenhamos isso: uma renovada juventude, uma conversão do modo de viver morno ao anúncio alegre que Jesus é o Senhor”. (BF-SP)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano