segunda-feira, 24 de julho de 2017

DOM JOSÉ HARING, BISPO DE LIMOEIRO DO NORTE (CE), COMEMOROU OS SEUS 50 ANOS DE VIDA SACERDÓTAL

Contando com a presença de dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo de Fortaleza e presidente do Regional Nordeste I da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e de dom Ângelo Pignoli, bispo de Quixadá, dom José Haring, bispo emérito de Limoeiro do Norte, comemorou, no último sábado, dia 22, o jubileu de ouro de vida sacerdotal.
A comemoração foi realizada com uma celebração eucarística, com a participação dos fiéis católicos da Diocese de Limoeiro, que lotou a praça da Catedral, onde se realizará, no próximo sábado a solenidade de posse do novo bispo, dom André Vital.



CONGREGAÇÃO DOM ORIONE REALIZA O V ENCONTRAR


A Congregação de Dom Orione - Orionitas realizará no dia 06 de agosto de 2017 o V ENCONTRAR, destinado à juventude. A edição deste ano está em sintonia com as celebrações comemorativas dos 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida no Rio Paraíba do Sul, objetiva promover o encontro dos jovens com Cristo, através do processo de amadurecimento da fé da primeira discípula do Senhor, a sua mãe. O V ENCONTRAR acontecerá nas dependências do Pequeno Cotolengo Dom Orione (Travessa Pe. José Maria Moura, 284 - Arianópolis - Caucaia - CE, Tel. (85) 3475-2959).

Em sintonia com as propostas da Congregação, o ENCONTRAR 2017 recordará e enfatizará os 125 anos da fundação do primeiro oratório Orionita: o Oratório San Luigi (3 de julho de 1936).

O ENCONTRAR é mais uma proposta para a juventude da Região Episcopal Nossa Senhora dos Prazeres.

Pe. Edson de Oliveira da Silva.

EVANGELHO DO DIA


Mateus 12,38-42

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, 38alguns mestres da Lei e fariseus disseram a Jesus: “Mestre, queremos ver um sinal realizado por ti”. 39Jesus respondeu-lhes: “Uma geração má e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta Jonas.40Com efeito, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim também o Filho do Homem estará três dias e três noites no seio da terra. 41No dia do juízo, os habitantes de Nínive se levantarão contra essa geração e a condenarão, porque se converteram diante da pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas.42No dia do juízo, a rainha do Sul se levantará contra essa geração, e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão”.Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


24/07/2017 - 2ª. Feira XVI semana comum 

 Êxodo 14, 5-18 – “ o Senhor também endurece o coração dos nossos algozes” 

Mais uma vez o povo de Deus, que saíra do Egito dando sinais de aparente vitória, foi surpreendido pela dureza do coração do faraó que arrependido voltou atrás na palavra empenhada e, por isso, os egípcios saíram em perseguição aos israelitas com carros, cavalos e escudeiros formando assim um exército enorme, pronto a derrotá-los. Os israelitas viram-se “encurralados” num beco sem saída. À sua frente estava o Mar Vermelho com toda a sua pujança e às suas costas, os egípcios com a sua fúria para exterminá-los. Moisés aconselhava ao povo que permanecesse firme e confiante e pedia clemência ao Senhor que aparentemente os tinha abandonado à própria sorte. No entanto, ao mesmo tempo em que o povo pedia ajuda a Deus por intermédio de Moisés, também reclamava dele a quem o Senhor havia escolhido para tirá-los de lá com autoridade e poder. E, mais uma vez, também, para surpresa do povo, o Senhor mesmo revelava que “iria endurecer o coração dos egípcios” e incentivá-los a continuar marchando contra Israel, argumentando: “Por que clamas a mim por socorro? Dize aos filhos de Israel que se ponham em marcha”. Assim também é a metodologia de Deus para conosco quando enfrentamos o mar da nossa vida. Há momentos em que nos sentimos também num beco sem saída e, por mais que peçamos a ajuda dos céus, nós murmuramos e nos rebelamos desejando que as coisas se resolvam como num passe de mágica. No entanto, nesses casos, o Senhor também endurece o coração dos nossos algozes e nos manda ir adiante sem temer, porque tem um propósito. As nossas maiores dificuldades acontecem para serem ultrapassadas e vencidas por nós para a glória de Deus. O Mar Vermelho só se abriu quando Moisés ergueu a vara e estendeu o braço e o povo penetrou nele sem duvidar. Era melhor enfrentar o mar confiando no poder e na orientação de Deus do que retroceder para enfrentar o inimigo. Assim também nós precisamos fazer para enfrentar o mar que se apresenta diante de nós, imenso e insondável. Obedecendo as ordens do Senhor, nós poderemos dar o primeiro passo em busca da salvação sem olhar para trás e sem temer o inimigo que nos persegue. – O que você costuma fazer quando está no “mato sem saída”? – Você pede o auxílio do Senhor? – Você já experimentou dá o passo para frente confiando na Sua assistência? – Você costuma retroceder diante das dificuldades da sua caminhada espiritual voltando para os braços do “inimigo”? – Ou você enfrenta o mar confiando na ajuda do Senhor?

–Êxodo 15 – “Ao Senhor quero cantar, pois fez brilhar a sua glória!”

O salmista exalta o Nome de Deus e atribui a Ele as mais diversas qualidades que O tornam glorioso. O Senhor é um Deus guerreiro, onipotente, cheio de força e de poder. Ele luta a nosso favor, com Ele a nossa vitória está garantida. A força do Seu braço é insuperável e por maior que seja, o “inimigo” será exterminado. Ore com este salmo hoje e coloque no contexto as diversas situações da sua vida em que o Senhor combateu por você e foi vencedor.

Evangelho – Mateus 12, 38-42 – “Deus sinaliza o Seu amor dentro do nosso coração”

Nós também vivemos esperando por sinais porque queremos testar o poder de Deus na nossa vida. Neste Evangelho, no entanto, Jesus nos exorta a tomar consciência de que o grande sinal é o sinal do Seu Amor na Cruz. O sinal de Jonas, quando esteve três dias e três noites no ventre da baleia, prefigura para nós o sinal da Fé na Morte e Ressurreição de Jesus e é a prova maior do Amor de Deus por nós. Os sinais do amor de Deus por nós são a vida, a liberdade, a misericórdia, a esperança, a motivação e se manifestam em nós pelo poder do Espírito Santo. Não precisamos de outros sinais para reconhecer que Jesus Cristo é o Senhor da nossa vida, pois se entregou por nós e na Cruz derramou o Seu precioso Sangue para nos dar uma vida nova no Espírito. O Senhor nos mostra que o Seu Amor é a garantia de que necessitamos para usufruir de uma vida harmoniosa conosco mesmo e com as outras pessoas. O amor de Deus age em nós e através de nós. Por isso, quando nos deixamos motivar pela presença amorosa de Deus, nós encontramos sentido para a nossa existência e compreendemos qual é a nossa missão aqui na terra. Este Amor é como uma força interior que possuímos, porém não sabemos de onde vem, apenas sentimos que provém de uma fonte inesgotável. Não esperemos por sinais exteriores. Deus sinaliza o Seu amor dentro do nosso coração e, por isto, não precisamos enxergar nem tocar ou ouvir, mas somente perceber a sua intensidade e a sua eficácia em nós – Você precisa de evidências para acreditar no poder de Deus na sua vida? – Você tem esperado por sinais mais claros ou você já reconhece que Jesus já trouxe a sua salvação? – Você tem fé em Jesus Cristo? – Para você o que representa o SINAL DA CRUZ

Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO CHARBEL


O santo de hoje nasceu no norte do Líbano, num povoado chamado Bulga-Kafra, no ano de 1828. Proveniente de uma família cristã e centrada nos valores do Evangelho, muito cedo precisou conviver com a perda de seu pai.
Após discernir o seu chamado à vida religiosa, com 20 anos ingressou num seminário libanês maronita. Durante o Noviciado, trocou seu nome de batismo (José) por Charbel. Mostrou-se um homem fiel às regras, obediente à ação do Espírito Santo e penitente.
Após sua ordenação em 1859, enfrentou muitas dificuldades, dentre elas a perseguição ferrenha aos cristãos com o martírio de muitos jovens religiosos e a destruição de inúmeros mosteiros em sua época. Em meio a tudo isso, perseverou na fé, trazendo consigo as marcas de uma vocação ao silêncio, à penitência e à uma vida como eremita.
Aos 70 anos, vivendo num ermo dedicado a São Pedro e São Paulo, com saúde bastante fragilizada, discerniu que era chegada a hora de sua partida para a Glória Celeste. Era Véspera de Natal. E no dia 24 de Dezembro, deitado sobre uma tábua, agonizante, entregou sua vida Àquele que concede o prêmio reservado aos que perseveram no caminho de santidade: a vida eterna.
São Charbel, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

domingo, 23 de julho de 2017

MONTESERRATE: O SANTUÁRIO QUE SE TORNOU ÍCONE DA CAPITAL DA COLÕMBIA


Por David Ramos

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário


Santuário do Senhor de Monserrate. Atrás da Igreja se pode ver parte de Bogotá. Foto: David Ramos / ACI Prensa
BOGOTÁ, 22 Jul. 17 / 08:00 am (ACI).- O Santuário do Senhor de Monserrate está a 3.172 metros acima do nível do mar, no topo do Cerro de Monserrate ou Cerro de Las Nieves (Cerro das Neves). Aos seus pés, meio quilômetro abaixo, encontra-se Bogotá, a capital da Colômbia, cuja história acompanhou desde seus dias coloniais.
“A história do santuário remonta à mesma época em que a cidade de Bogotá nasceu”, explica ao Grupo ACI Mons. Sergio Pulido Gutiérrez, cônego da Catedral Primaz de Bogotá e reitor da Basílica e Santuário do Senhor de Monserrate.
“Estamos por completar 478 anos de história como cidade e o santuário remonta a essa época da colônia espanhola”, assinala.
Para Mons. Pulino Gutiérrez, o Santuário do Senhor de Monserrate é um “ícone de toda a cidade de Bogotá”.
Precisamente, cada fim de semana, especialmente no domingo, muito bogotanos sobem o Cerro de Monserrate pelo longo caminho de pedestres, um vestígio do caminho indígena original e que requer um condição física especial. Entretanto, há outras duas opções: o funicular que opera há 80 anos, e o teleférico.
Na última Sexta-feira Santa, festa do Santuário, subiram mais de 73 mil pessoas.
“No ano de 1620 – relata Mons. Pulino – um missionário espanhol chamado Frei Bruno de Valenzuela construiu aqui uma pequena ermida. Essa ermida foi consagrada à Virgem morena de Montserrat. Essa devoção de Nossa Senhora de Montserrat é muito venerada, muito querida, muito amada pelos catalães, na Espanha”.
A Virgem de Montserrat deu o nome à colina, explica o sacerdote colombiano, pois os indígenas locais, os muiscas, o chamavam de Cerro de Las Nieves, por sua frequente nebulosidade.
Mas, embora o amor à Virgem tenha sido o que despertou a devoção, a tradição que dura até hoje ganhou força com a imagem do Senhor de Monserrate.

Senhor de Monserrate. Foto: Flickr de Juan Carlos Pachón.
A primeira festa religiosa que motivou grandes peregrinações ao Santuário foi a festa da Santa Cruz, em maio. Os fiéis, assinala Mons. Pulido, “subiam a colina a pé, no que chamavam de romarias, e colocavam cruzes pelo caminho, celebravam a festa e logo desciam outra vez”.
“Porém, não foi somente a festa da Santa Cruz, mas a segunda festa que deu toda a religiosidade popular e a tradição do que chegou a ser finalmente o Santuário: foi a Sexta-feira Santa”, assinala.
“Vinham aqui na Sexta-feira Santa e subir a colina era, naquela época, como se subissem ao Calvário, o lugar da crucificação e da morte de Jesus”, explica.
A imagem do Senhor de Monserrate foi feita em 1640 pelo artista Pedro de Lugo Albarracín. “Essa imagem não só começou a ser o centro das peregrinações, da devoção popular, como também se tornou uma imagem muito milagrosa”, assegura o reitor do Santuário.
“É uma imagem que desperta muita fé, muito amor, muita esperança, muita confiança na misericórdia de Deus. Realmente há muitos milagres que são atribuídos à imagem”, diz.
Além disso, Mons. Pulido assinala que “o Papa Pio XII deu a este lugar não só o título de Santuário, mas de Basílica. Para nós, uma Basílica é um lugar que tem maior dignidade do que qualquer outro templo. De fato, depois da Catedral Primaz de Bogotá, esta Basílica santuário é o lugar mais significativo”.
Três “motivações” para subir até o Santuário de Monserrate
Para o reitor do Santuário, há ao menos 3 “grandes categorias ou motivações” para subir o cerro.
“A primeira é a fundamental, que é a fé. Aqui, antes de tudo, é um Santuário. Como Santuário, é um lugar de encontro com Deus, vem-se ao Santuário para poder ter essa experiência de encontro com Deus”, assinala.
“São muitíssimas as pessoas que vêm por fé, especialmente sábado e domingo, todos os sábados e domingos, mas particularmente a Semana Santa”, sublinha.
Mas, “há outra motivação muito grande”, indica, “e é o esporte”.
“Embora tenhamos vários parques, ciclovias, centros poliesportivos, lugares onde se pode fazer exercícios, muitos bogotanos gostam de vir a pé, por exemplo. O caminho fica aberto a partir das 4h30 para que subam se exercitando”.
“Os que têm um físico mais cultivado, já são atletas, de alto rendimento, podem gastar 25 minutos, meia hora. Os que não têm bom preparo físico vão demorar mais”, assegura.
A terceira motivação, diz, “é o turismo”, pois, “do átrio do Santuário, de cima do cerro, é possível vislumbrar, contemplar a cidade. É um lugar muito privilegiados para ver a imensidão da cidade”.
Na parte oriental do Santuário, assinala, é possível ver as colinas da Cordilheira Oriental dos Andes. “Eu fico admirado, e até mesmo incomodado, de como as pessoas ficam tanto tempo contemplando a cidade e, às vezes, não se dão conta da formosura, da beleza, da grandeza de nossas colinas orientais”, lamenta.
Por esses três motivos, destaca, o Santuário de Monserrate é “um lugar de encontro com Deus, de encontro com a natureza e de encontro com a cultura”.
“Vir a Monserrate deve ser uma experiência física, de exercício físico, mas também uma experiência emocional, para poder estar em harmonia consigo mesmo, coma natureza e, é claro, com Deus”, expressa.


Fonte: ACI Digital

ENCONTRO DOS PADRES COM MAIS DE 11 ANOS DE ORDENAÇÃO


Iniciando com o trecho da mensagem Papa Francisco aos bispos italianos: a tríplice pertença ao Senhor, à Igreja, ao Reino (16 /05/2016) o arcebispo Metropolitano de Fortaleza, dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, enviou carta convite aos padres para o Encontro dos Padres de mais de 11 anos de Ordenação.

Diz o trecho da mensagem: “Está, então, delineada, queridos irmãos, a tríplice pertença que nos constitui: pertença ao Senhor, à Igreja, ao Reino. Esse tesouro em vasos precisa ser protegido e promovido! Compreendam fortemente essa responsabilidade, assumam com paciência e disponibilidade de tempo, de mãos e de coração. Rezo com vocês a Virgem Santa, para que a sua intercessão os proteja acolhedores e fiéis. Junto com os vossos presbíteros, possam terminam o trabalho, o serviço que lhes foi confiado e com o qual participam ao mistério da Mãe Igreja.”

O Encontro acontecerá nos dias 28 a 31 de agosto - segunda a quinta-feira, em Quixadá (CE), Serra do Estêvão - Mosteiro e Capela São José. Chegada dia 28 de agosto - segunda-feira, com o jantar e término dia 31 de agosto - quinta-feira, com almoço. Pede-se que os padres levem túnica, estola branca, Liturgia das Horas e material de uso pessoal e para lazer. No Encontro haverá oportunidade para lazer.

A hospedagem será R$ 360,00 por pessoa e o pagamento da estadia se dará na entrada (check in).

Do José lembra na carta que “Este encontro faz parte da Formação Permanente dos presbíteros e será oportunidade de crescer em nossa comunhão fraterna e sacerdotal, através da convivência, da reflexão e partilha de vida e ministério.”

Em vista da necessária da reserva é preciso confirmar sua presença na Sala da Comissão Arquidiocesana do Clero, na Cúria Arquidiocesana ou com a Equipe de Coordenação.

Para contato:

Com a Equipe de Coordenação: Pe. Francisco Everton - (85) 99974-0744.
Com a Sala da Comissão Arquidiocesana do Clero: Maria de Jesus (85) 4005-7860.

Com informações da Pascom da Arquidiocese de Fortaleza

FACULDADE CATÓLICA PROMOVE GRANDE ENCONTRO SOBRE MISSÃO


Acontecerá no dia 12 de agosto, das 8 às 16 horas, na Faculdade Católica de Fortaleza um grande Encontro sobre MISSÃO com o Padre Luis Mosconi, ele que é uma das  referências em animação missionária em nosso país e um forte incentivador das Santas Missões Populares que acontecem por todos os cantos do Brasil.

A proposta tem como objetivo ser um dia de animação missionária impulsionando para o momento das missões que acontecerá em outubro!

São convidados a participar os missionários das paróquias para este momento de animação, formação e integração.
Tem uma contribuição de apenas 10 reais para o almoço deste dia.

Aguardamos as fichas de inscrição até o dia 08 de agosto na Secretaria da Região Episcopal.
As mesmas podem ser enviadas pelo e-mail da Região: remsaojose@arquidiocesedefortaleza.org.br

Em relação a contribuição para o almoço, pode ser entregue no dia do encontro no momento do credenciamento.
Obs.: é importante a inscrição para que possamos encomendar um número de almoços necessários afim de que não tenhamos desperdícios.

Maiores informações pelo 4005-7862 (sala da Região), exceto de 11 à 31 de julho por conta do recesso na Região.

Biografia:

Luís Mosconi, padre diocesano, nasceu e se formou na Itália. Residindo no Brasil desde 1967, trabalhou por quinze anos em paróquias, ajudando na formação de pequenas Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e também passou alguns anos a serviço da formação de líderes na região Norte do País. Desde 1990 tem se dedicado às Santas Missões Populares. Escreveu: Comentários bíblicos, Santas Missões Populares, Atos dos Apóstolos e As duas cartas de Pedro.

Com informações da Pascom da Arquidiocese de Fortaleza


PAPA FRANCISCO NO ANGELUS: CONFIAR NA AÇÃO DE DEUS QUE FECUNDA A HISTÓRIA



Cidade do Vaticano (RV) – “Confiar na ação de Deus que fecunda a história”, pois somente Ele pode separar o bem do mal e extirpá-lo, e o fará no juízo final. A nós cristãos, cabe o discernimento entre o bem e o mal, conjugando decisão e paciência. Neste sentido, devemos evitar julgar quem está ou não no  Reino de Deus, pois todos somos pecadores.
No Angelus deste XVI Domingo do Tempo Comum, o Papa dirigiu sua reflexão aos milhares de fieis presentes na Praça São Pedro, inspirado na Parábola do joio e do trigo, “que ilustra o problema do mal no mundo e destaca a paciência de Deus”. Quanta paciência Deus tem conosco!, exclamou Francisco.
A narrativa se desenvolve em um campo com dois opostos protagonistas, explica o Papa. De um lado o dono do campo que representa Deus e semeia a boa semente; por outro o inimigo que representa Satanás e semeia a erva ruim.
O dono e os seus servos têm comportamentos diferentes diante do crescimento do joio em meio ao trigo. Os servos pensam em arrancá-lo, mas dono adverte que pode ser arrancado junto o trigo:
“Com esta imagem Jesus nos diz que neste mundo o bem e o mal estão totalmente entrelaçados, que é impossível separá-los e extirpar todo o mal. Somente Deus pode fazer isto e o fará no juízo final”.
Esta situação é “o campo da liberdade dos cristãos” onde se pratica a difícil tarefa do “discernimento entre o bem e o mal. E neste campo” deve-se conjugar, “com grande confiança em Deus e na providência, dois comportamentos aparentemente contraditórios: a decisão e a paciência:
“A decisão é aquela de querer ser trigo bom – todos nós o queremos -, com todas as próprias forças, e portanto, tomar distância do maligno e de suas seduções. A paciência, significa preferir uma Igreja que é fermento na massa, que não teme sujar suas mãos lavando as roupas de seus filhos, antes que uma Igreja de “puros”, que pretende julgar antes do tempo, quem está e quem não está no Reino de Deus”.
O Papa recorda que com esta parábola o Senhor “nos ajuda a compreender que o bem e o mal não se podem identificar com territórios definidos ou determinados grupos humanos: “Estes são os bons, estes são os maus”:
“Ele nos diz que a linha de separação entre o bem e o mal passa no coração de cada pessoa, passa no coração de cada um de nós, isto é: todos somos pecadores. Me vem o desejo de pedir a vocês: “Quem não é pecador levante a mão!”. Ninguém! Porque todos o somos, todos somos pecadores”.
Jesus nos deu vida nova e com o Batismo a Confissão, “porque sempre temos a necessidade de sermos perdoados de nossos pecados. Olhar sempre e somente o mal que está fora de nós, significa não querer reconhecer o pecado que existe também em nós”, advertiu Francisco.
Jesus – disse o Papa – também nos ensina a enxergar de modo diferente o “campo do mundo, a observar a realidade”. E enfatiza:
Somos chamados a aprender os tempos de Deus – que não são os nossos tempos - e também o “olhar” de Deus: graças ao influxo benéfico de uma trepidante espera, aquilo que era joio ou parecia joio, pode tornar-se um produto bom. É a realidade da conversão. É a perspectiva da esperança”!
Por fim, Francisco pediu que a Virgem Maria nos ajude “a colher na realidade que nos circunda não somente a sujeira e o mal, mas também o bem e o belo; a desmascarar a obra de Satanás, mas sobretudo a confiar na ação de Deus que fecunda a história”. (JE)(from Vatican Radio)
Fonte Rádio Vaticano

JERUSALÉM: APELO DO PAPA À MODERAÇÃO E AO DIÁLOGO






Cidade do Vaticano (RV) – Após recitar o Angelus com os fiéis presentes na Praça São Pedro, o Papa Francisco fez um apelo pelo fim da violência em Jerusalém, chamando as partes envolvidas à moderação e ao diálogo:
“Acompanho com preocupação as graves tensões e as violências destes dias em Jerusalém. Sinto a necessidade de expressar um premente apelo à moderação e ao diálogo. Convido vocês a vos unirem a mim na oração, para que o Senhor inspire em todos, propósitos de reconciliação e de paz”.
Os conflitos tiveram início na última sexta-feira, após a decisão de Israel de limitar o acesso à Esplanada das Mesquitas a pessoas maiores de 50 anos e instalar detectores de metais, em resposta ao ataque de três palestinos que matou dois policiais israelenses perto da cidade Velha em 14 de julho.
Nos choques entre polícia e manifestantes já morreram cinco palestinos. Por outro lado três colonos israelenses morreram após terem sido esfaqueados em um assentamento próximo a Ramallah.
Na manhã deste domingo, os serviços secretos israelenses prenderam ao menos 25 pessoas na Cisjordânia, entre os quais alguns funcionários do Hamas e o ex-ministro e parlamentar palestino, Omar Abdel Razek. (JE)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

LEGIÃO DE HONRA À CARMELITA LIBANESA POR TRABALHO NO CAMPO EDUCATIVO E INTER-RELIGIOSO


Paris (RV) – Após ter sido condecorada duas vezes no passado com a Palma Acadêmica, em 14 de julho foi a vez de ser nomeada Cavaleira da Legião de Honra, única responsável religiosa a receber este prestigioso reconhecimento.
Trata-se da Irmã Mariam na-Nour (no século Antoinette Awit), de 66 anos, carmelita libanesa, há quase 20 anos dirigindo o Collège Carmel Saint-Joseph de Mechref, ao sul de Beirute, instituto francófono reconhecido no Líbano e não só, pelo espírito de abertura e promoção do diálogo inter-religioso.
A honorificência a ela atribuída é um reconhecimento pelos quarenta e quatro anos de ensino no colégio – começou no ano escolar 1973-1974, recém formada em filosofia -, mas sobretudo pelas iniciativas concretas que leva em frente diariamente, que vão desde cerimônias islâmico-cristãs para celebrar a Anunciação até a partilha do Iftar com os estudantes de todas as confissões durante o Ramadã, passando pelas sessões de reflexão e análise com os docentes sobre questões religiosas e até um coral.
No Instituto católico no Líbano promove “uma forma de laicidade construída em cima de valores que ligam profundamente os homens entre eles”, declara a religiosa ao “La Croix”, que dedicou a ela a edição de 19 de julho.
O Collège Carmel Saint-Joseph recebe a cada ano 765 alunos de todas as confissões religiosas, independente do estrato social ou da orientação política.
Esta abertura ao outro, às diferenças, vem da própria educação, visto ter vivido no seio de uma família de oito filhos, muito praticante, sem falar em seu envolvimento com o escotismo quando jovem.
Daqui, a sensação de ser “conquistada pela palavra de Cristo, o único que não pode mentir aos homens”.
Em 1975 torna-se postulante, data que coincide com o início da guerra civil libanesa, durante a qual pronunciará, em 1983, os votos solenes.
“Nos anos do conflito – conta ela – mantivemos abertas as portas de nosso instituto, trabalhamos sob as bombas, mas sempre nos deixamos animar pela nossa paixão pela reconciliação”.
Quando, em 1998, a Congregação pediu a ela para assumir o colégio, Ir Mariam, junto a outras sete religiosas da comunidade libanesa e a 125 leigos do grupo de ensino, viu-se diante de múltiplas problemáticas ligadas aos conflitos de religião. Porém, estava profundamente convencida de que “a nossa instituição tem um papel fundamental a desempenhar na aproximação entre muçulmanos e cristãos”.
A Legião de Honra é uma condecoração honorífica francesa. Foi instituída em 20 de maio de 1802 por Napoleão Bonaparte e recompensa os méritos eminentes militares ou civis à nação. (JE – L’Osservatore Romano)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAROQUIANOS COMEMORAM OS 13 ANOS DE VIDA SACERDOTAL DO PADRE LUÍS GABRIEL MENDOZA



Os paroquianos de São João Eudes comemoraram, na noite de ontem, dia 22, os 13 anos de vida sacerdotal do padre Luís Gabriel Mendoza, com uma celebração eucarística na Igreja Matriz (Igreja do Menino Deus), no  bairro Luciano Cavalcante, às 19 horas, e logo em seguida, um jantar-adesão na Casa de Formação dos Padres Eudistas, prestigiado não só pelos paroquianos como também pelo seu grande número de amigos.

MISSA

A celebração eucarística foi presidida pelo aniversariante e  contou com a participação do padre Cléber Faria, da cidade mineira de Patos de Minas,

Desta Missa participou, além  dos paroquianos e amigos de Luís Gabriel, um grupo de mais de uma dezena de fiéis da Paróquia eudista de Nossa Senhora Aparecida, em Salvador, que veio também para o Halleuya, evento promovido pela Comunidade Shalom.  

O padre Luís Gabriel, que estava sendo homenageado, agradeceu a presença não só do grupo como também do padre Cléber Faria, de Patos,Minas Gerais, que se fez presente ao jantar-adesão.

HISTÓRICO

O padre Luís Gabriel na sua homília fez um histórico de sua vida sacerdotal e agradeceu a sua família, que o apoiou na caminhada. Ele aproveitou a oportunidade  para registrar o apoio que tem recebido por parte dos paroquianos de São João Eudes.

A coordenadora do Mesc  da Igreja Matriz,  Noélia Lima, falou em nome dos paroquianos para agradecer “Ao Espírito Santo” por ter nos dado o padre Gabriel, encerrando com todos  cantando "Parabéns para Voce".


ORAÇÃO EM VÁRIOS RITMOS MARCA QUARTA NOITE DE ATRAÇÕES DO HALLELUYA


Na noite de ontem, passaram pela Arena Principal do evento os artistas André Leite e ID2, Naldo José, Suely Façanha, Cosme e os grupos do Missionário Shalom e Alto Louvor

http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/logger/p.gif?a=1.1793162&d=/2.187/2.188/2.759/2.806/2.807
Além das apresentações, o público também conta com outros cinco ambientes simultâneos para diversas atividades ( Foto: JL Rosa )

O Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU) foi tomado pela animação e o louvor de milhares de pessoas durante a quarta noite de atrações do Festival Halleluya, neste sábado (22). A oração se fez presente em diferentes ritmos, como rock, pagode e axé, que embalam a edição 2017 do evento, que tem como lema “A Festa que Nunca Acaba”, celebrando os 35 anos da Comunidade Católica Shalom.
Na noite de ontem, dia 22, passaramm pela Arena Principal do evento os artistas André Leite e ID2, que foi o primeiro a se apresentar, além de Naldo José, Suely Façanha, Cosme e os grupos do Missionário Shalom e Alto Louvor. Além das apresentações, o público também contou com outros cinco ambientes simultâneos para diversas atividades, a exemplo da Arena Misericórdia, onde há uma capela destinada à adoração do Santíssimo Sacramento, confissões e aconselhamentos. 
Para Matteus Patrício, de 22 anos, o evento simboliza um momento de transformação na sua vida. O jovem, que chegou a morar na rua por conta da dependência química, foi atendido por seis meses pelo projeto "Promoção Humana", também oferecido na Arena Vida do Halleluya. "Eu passava noites na rua por conta das drogas e o projeto me acolheu e me deu uma nova experiência com Deus. Hoje, trabalho no projeto", disse o jovem.
Já a motivação da piauiense Danyele Viana, 34 anos, é outra. Ela viajou de Teresina-PI para Fortaleza com familiares pelo quarto ano consecutivo só para prestigiar o Festival.  "O que me motiva a vir pro Halleluya é porque eu acho que esse evento traz um pouco de Deus pra mim e pra muitas pessoas que vem pra cá", declarou.  

Quem também registrou presença no evento foi o governador Camilo Santana. O chefe do Executivo Estadual esteve reunido com o Moderador Geral da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo, e destacou a importância do Halleluya no cenário atual. "Um evento que reúne gente de todas as idades, pessoas de todo o interior do Ceará, da capital, em um momento não só de atrativos para jovens e crianças, mas em um momento de evangelização. O mundo atual está exigindo um momento de muita reflexão, por causa da violência. É importante alimentar esse espírito de fraternidade e solidariedade", afirmou.
Acessibilidade
Com uma estimativa de público de 220 mil pessoas ao longo dos cinco dias do festival, totalizando mais de um milhão de participantes, o Halleluya deste ano traz um local pensado também para os portadores de necessidades especiais: o Espaço Acessibilidade.
Localizado do lado esquerdo do palco principal, o ambiente possui voluntários que se comunicam em libras com os deficientes auditivos que desejam acompanhar os shows. Cadeirantes, cegos e deficientes físicos também são contemplados com a estrutura do espaço.
Próximas atrações
Hoje, domingo (23), último dia do evento, a programação terá início com uma missa e adoração às 18 horas. Logo depois, o público pode acompanhar os shows de Diego Fernandes, Anjos de Resgate e Rosa de Saron. Vale ressaltar que a entrada é gratuita, podendo ser doado um quilo de alimento não perecível. 

Serviço
Festival Halleluya 
Onde: Condomínio Espiritual Uirapuru – CEU (Av. Alberto Craveiro, 2222 – Castelão)
Programação:
18h – Missa + Adoração
20h40 – Diego Fernandes
21h55 – Anjos de Resgate

23h15 – Rosa de Saron
Fonte: Diário do Nordeste