sexta-feira, 20 de outubro de 2017

EVANGELHO DO DIA


Lucas 12,1-7

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, 1milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. 2Não há nada de escondido, que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido. 3Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados.4Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. 5Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este temei. 6Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. 7Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


20 de Outubro de 2017 - 6ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum

- Romanos 4,1-8 - “É Deus quem nos fará ser justos e santos.”

Abrão é o exemplo do homem de fé e do homem justo que acreditou em Deus e nas Suas promessas, mesmo diante de uma realidade de vida aparentemente impossível de acontecer, como lhe fora prometido. “Feliz o homem a quem Deus credita a justiça independentemente das obras”. Não é pelas nossas obras que nos tornamos justos perante Deus, mas pela Fé nas Suas obras. Por isso, a fé de Abrão, provada pela obediência ao chamado do Senhor, lhe foi creditada como justiça. Assim sendo, nós somos ou não homens e mulheres justos, na proporção da nossa fé. Se cremos em Deus que é justiça e santidade, tornamo-nos, portanto, justos e santos, pois é Deus quem nos fará ser justos e santos. A fé é a alavanca que nos impulsiona para a conquista da santidade. Não são as nossas boas obras, nem tampouco o que nós realizamos no serviço do reino ou se oramos muito e comungamos todos os dias, mas o testemunho de fé autêntica que nós oferecemos ao mundo. A fé nos leva a obediência, ao compromisso com a verdade e com a justiça de Deus. A justiça de Deus é o Seu amor e a Sua misericórdia para todos aqueles (as) que creem na Sua Palavra e esperam as Suas promessas. A justiça de Deus é o Seu perdão ilimitado, por conseguinte é justo que também nós confiemos e entreguemos a nossa alma ao Pai para que ela seja remida e purificada de todo pecado. Só Deus Pai tem o poder de nos perdoar os pecados e salvar a nossa alma da morte, diante da justificação de Seu Filho Nosso Senhor Jesus Cristo. Felizes seremos se, perdoados (as) de todas as nossas faltas, dermos no mundo o testemunho dos santos, (as), homens e mulheres justos como Abraão.- Você
acha que Deus o (a) perdoará mais se mais trabalhar para Ele?- Por que o Senhor lhe concede o perdão das suas faltas?- Você tem feito algum tipo de comércio com Deus oferecendo alguma coisa em troca do perdão dos seus pecados?- Você acha que isso funciona?- Em sua opinião, o Senhor “deve” perdoar também os políticos corruptos?
Salmo - Sl 31,1-2. 5. 11 (R. Cf. 7)
R. Vós sois para mim proteção e refúgio, eu canto bem alto a vossa salvação.
O salmo é uma resposta à primeira leitura quando nos confirma que o homem ao ser perdoado pelo Senhor, passa a ser feliz, pois Deus é justo e conhece o nosso coração. A sinceridade da nossa alma quando se reconhece pecadora nos leva a confessar as nossas faltas e esperar a misericórdia de Deus que não olhará mais a nossa culpa mas o nosso testemunho de fé na Sua misericórdia. Essa portanto, será a razão para o nosso regozijo e a nossa alegria. Por isso também nós podemos cantar jubilosos diante do altar do Senhor, salmos e hinos de louvor.

Evangelho - Lucas 12,1-7 - “A todos nós o Senhor guarda com carinho para o Seu dia”

Milhares de pessoas se reuniam para escutar Jesus falar, porém Ele se dirigia primeiramente aos seus discípulos! Portanto, aqueles (as) que estão mais próximos (as) do Senhor são os primeiros que escutam os Seus ensinamentos, logo são os (as) que mais aprendem com o Mestre. Todos nós que temos comunhão com Jesus, em oração e intimidade com Ele por meio do Seu Espírito Santo, recebemos o alerta para que não venhamos a cair na hipocrisia do mundo. O fermento dos fariseus era a falsidade, isto é, eles falavam o que não viviam e exigiam dos outros, ações que eles mesmos não praticavam. As suas palavras, gestos e ações divergiam do que eles tinham dentro do coração. Faziam julgamentos inconsequentes e não tinham compaixão com os erros das pessoas e, por essa razão eram temidos pelo povo. Jesus, no entanto, pregava a transparência e a verdade, como norma de vida para todos os homens: “Não há nada de escondido que não venha a ser revelado”. E acrescentava “não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isso”; “temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno.” Deste modo, não tenhamos medo daqueles (as) que tramam contra os filhos de Deus. Não tenhamos medo de buscar a Jesus, pois, Ele é a verdade e dizer a verdade, é proclamar bem alto o que o Espírito nos inspirar. O Senhor que nos criou sabe tudo ao nosso respeito, sabe da nossa constituição, corpo, alma e espírito e conhece profundamente as nossas intenções. Valemos muito mais que os pardais e nenhum de nós seremos esquecidos (a) por Deus. A todos nós o Senhor guarda com carinho para o Seu dia. – Você tem medo dos homens? - Você costuma se render aos projetos dos homens por receio de que eles possam prejudicá-lo (a)?- Você é fiel ao Evangelho, mesmo que seja contra todo o mundo? - Você é uma pessoa dada a segredos, subterfúgios, ou você é transparente e claro (a) nas suas colocações?

Helena Serpa,

Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO PEDRO ALCÂNTARA


Esta Palavra do Senhor se aplica muito bem a São Pedro de Alcântara, o qual lembramos hoje, pois soube vencer o corpo do pecado através de muita oração e mortificações. Pedro nasceu em Alcântara, na Espanha, em 1499.
Menino simples, orante e de bom comportamento, estudou na universidade ainda novo, mas soube, igualmente, destacar-se no cultivo das virtudes cristãs, até que, obediente ao Mestre, o casto e caridoso jovem entrou para a Ordem de São Francisco, embora seu pai quisesse para ele o Direito. Pedro foi ordenado sacerdote e tornou-se modelo de perfeição monástica e ocupante de altos cargos, o qual administrou até chegar, com vinte anos, a superior do convento e, mais tarde, eleito provincial da Ordem.
Franciscano de espírito e convicção, era sempre de oração e jejum, poucas horas de sono, hábito surrado, grande pregador e companheiro das viagens. Como provincial, visitou todos os conventos da sua jurisdição, promovendo uma reforma de acordo com a regra primeira de São Francisco, da qual era testemunho vivo. Conhecido, sem desejar, em toda a Europa, foi conselheiro do imperador Carlos V e do rei João III, além de amigo dos santos e diretor espiritual de Santa Teresa de Ávila; esta, sobre ele, atestou depois da morte do santo: “Pedro viveu e morreu como um santo e, por sua intercessão, conseguiu muitas graças de Deus”.
Considerado um dos grandes místicos espanhóis do séc. XVI e dos que levaram a austeridade até um grau sobre-humano, entrou no Céu com 63 anos, em 1562, após sofrer muito e receber os últimos Sinais do Amor (Sacramentos), que o preparou para um lindo encontro com Cristo.
São Pedro de Alcântara, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

BONITA RECEPÇÃO PARA O PADRE REGINALDO MANZOTTI NA CHEGADA A FORTALEZA





O padre Reginaldo  Manzotti já está em Fortaleza para comandar mais uma edição de “Evangelizar é preciso Fortaleza," que acontecerá no próximo sábado, no Aterro da Praia de Iracema, a partir das 12 horas.

O padre  foi recepcionado por um número significativo de pessoas que têm uma grande admiração por ele que desceu em Fortaleza, às 16 horas, de hoje, dia 19 de outubro, de um voo da Latam, procedente de São Paulo, que chegou com um bom atraso. Era para ter aterrissado às 14h40min.

Os seguranças da Infraero não puderam conter as pessoas que estavam  a sua espera,  e a todos  ele atendeu  carinhosa e atenciosamente, tirando selfies, fotos ou dando autógrafos em seu livro “Batalha Espiritual entre anjos e demônios”, que está tendo uma grande aceitação por parte dos fiéis católicos.
CARTAZ

Dona Maria Rodrigues Oliveira e a filha Maria Gleide de Oliveira chegaram cedo ao aeroporto, trazendo um banner (cartaz) com os dizeres: “Por  Suas  Santas Chagas  fomos curados”. Esse cartaz
 ganhou um autógrafo de Reginaldo Manzotti, o que deixou as duas bastante felizes. Feliz estava também Leandra Kelly, que ganhou  um autógrafo do sacerdote, que teve muita dificuldade para deixar o setor de desembarque do Aeroporto Internacional Pinto Martins.


PLANO OPERACIONAL

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado – SSPDS – divulgou o Plano Operacional para o X Evangelizar Fortaleza.

Também foram divulgados reforço na frota de ônibus e plano de ação da Guarda Municipal

Cerca de 262 profissionais serão empregados, neste sábado (21), para reforçar a segurança do X Evangelizar é Preciso Fortaleza – Padre Reginaldo Manzotti, no Aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza. O plano operacional foi traçado pela Coordenadoria de Planejamento Operacional (Copol) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e suas vinculadas – Polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros – com o intuito de proporcionar a segurança e tranquilidade para aqueles que frequentarão o evento religioso. As ações foram divulgadas em coletiva de imprensa realizada na sede da SSPDS, nesta quarta-feira (18).

O policiamento ostensivo no evento e nas principais ruas das adjacências será realizado por 218 policiais militares, sendo empregadas 12 viaturas e 15 motocicletas. Os agentes de segurança se distribuirão em modalidades de patrulhamento a pé, motorizado e montado. Atuarão os Batalhões de Policiamento e Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (BPRaio), de Policiamento de Eventos (BPE), de Polícia de Choque (BPChoque) e de Policiamento Turístico (BPTur); além do Regimento de Polícia Montada (RPMont) e dos Comandos do Policiamento da Capital (CPC) e Metropolitano (CPM). A aeronave da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer), que contará com a atuação de quatro profissionais de segurança, realizará sobrevoos na região. A Secretaria colocará também militares sobre as plataformas elevadas, que darão apoio à segurança do evento.
Para os frequentadores do local, que precisarem dos atendimentos pertinentes a Polícia Civil, o efetivo do 2° Distrito Policial, unidade que atende a circunscrição, será reforçado. O 34° Distrito Policial, no bairro Farias Brito, que também funciona em regime de 24 horas, atuará de forma supletiva. Serão destinados 18 policiais civis e quatro viaturas. Equipes do pronto-apoio da Polícia Civil realizarão, ainda, incursões no local da missa show. Já o Corpo de Bombeiros disponibilizará de 30 bombeiros militares, em um caminhão Auto Bomba Tanque (ABT), uma ambulância de resgate e um bote salva vidas.

GUARDA MUNICIPAL

A Guarda Municipal de Fortaleza disporá uma viatura em cada Terminal de integração da capital cearense e um efetivo de 148 homens atuando no entorno do aterro da Praia de Iracema a partir das 9 horas

ETUFOR REFORÇA FROTA

A Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor) reforçará a frota de ônibus para o encontro com padre Reginaldo Manzotti. O evento contará com linhas especiais que saem dos terminais direto para o aterro da Praia de Iracema, além das 24 linhas que já costumam circular aos sábados pela região do evento, mais 48 veículos extras serão disponibilizados à população a partir das 12h com encerramento às 01h de 22 de outubro. Os ônibus adicionais estarão distribuídos em todos os terminais de integração conforme a demanda de passageiros. Serão doze veículos no Antônio Bezerra, quatro no Lagoa, doze na Parangaba, dez no Siqueira, cinco na Messejana e cinco no Papicu.

Confira as linhas de ônibus 930 – Antônio Bezerra/Aterro da Praia de Iracema. 931 – Parangaba/Aterro da Praia de Iracema. 933 – Lagoa/Aterro da Praia de Iracema. 935 – Messejana/ Aterro da Praia de Iracema. 937 – Papicu/ Aterro da Praia de Iracema. 938 – Siqueira/Aterro da Praia de Iracema

PAPA FRANCISCO: NÃO FECHEMOS A PORTA A NÓS PASTORES E AO POVO QUE QUER ENTRAR


Cidade do Vaticano (RV) - Que o Senhor nos dê a memória da “gratuidade” da salvação e da proximidade de Deus e da tangibilidade das obras de misericórdia que quer de nós, sejam elas “materiais ou espirituais”: assim nos tornaremos pessoas que ajudam a “abrir a porta” a nós mesmos e aos outros. Foi a oração do Papa na missa desta quinta-feira (19/10) na capela da Casa Santa Marta, no Vaticano.
 
Partindo do trecho evangélico do dia (Lc 11,47-54), em que os escribas e fariseus se consideravam justos, e Jesus faz com eles sintam palpavelmente que somente Deus é justo, Francisco explicou porque os doutores da lei tinham “afugentado o conhecimento”, com a “consequência” de eles “não entrarem no Reino nem deixar que os outros entrassem”.
Esse dissipar a capacidade de entender a revelação de Deus, de entender o coração de Deus, de entender a salvação de Deus – a chave do conhecimento –, podemos dizer que é um grave descuido. Esquece assim a gratuidade da salvação; se esquece a proximidade de Deus e se esquece a misericórdia de Deus. E aqueles que esquecem a gratuidade da salvação, a proximidade de Deus e a sua misericórdia, carregaram a chave do conhecimento.
Esqueceu-se, portanto, a gratuidade. É “a iniciativa de Deus que nos salva e, ao invés, se colocam da parte da lei”: para eles – disse o Papa – a salvação está na aí, na lei, chegando desse modo “a um amontoado de prescrições” que efetivamente se tornam a salvação. Assim, porém, “não recebem a força da justiça de Deus”.
Ao invés, a lei é sempre “uma resposta ao amor gratuito de Deus”, que tomou “a iniciativa” de salvar-nos. E, acrescentou o Santo Padre, “quando se esquece a gratuidade da salvação se cai, se perde a chave da inteligência da história da salvação”, perdendo “o sentido da proximidade de Deus”.
Para eles Deus é aquele que fez a lei. E esse não é o Deus da revelação. O Deus da revelação é Deus que começou a caminhar conosco a partir de Abraão até Jesus Cristo, Deus que caminha com seu povo. E quando se perde essa relação de proximidade com o Senhor, se cai nessa mentalidade obtusa que acredita na autossuficiência da salvação com o cumprimento da lei. A proximidade de Deus.
De fato, quando falta a proximidade de Deus, quando falta a oração, evidenciou o Pontífice, “não se pode ensinar a doutrina” e nem mesmo “fazer teologia”, muito menos “teologia moral”. Francisco reiterou que a teologia “se faz de joelhos, sempre perto de Deus”!
E a proximidade do Senhor chega “ao cume de Jesus Cristo crucificado”, sendo que nós fomos “justificados” pelo sangue de Cristo, como diz São Paulo. Por isso, explicou o Papa, as obras de misericórdia “são a pedra de toque do cumprimento da lei”, porque se toca a carne de Cristo, ”tocar Cristo que sofre numa pessoa, seja corporalmente, seja espiritualmente”.
Ademais, Francisco chamou a atenção para o fato que quando se perde a chave do conhecimento, se acaba por chegar até mesmo “à corrupção”. Por fim, o Papa pensou na “responsabilidade” dos pastores, hoje na Igreja: quando perdem ou levam embora “a chave da inteligência”, fechando “a porta para nós e para os outros”.
Em meu país ouvi muitas vezes acerca de párocos que não batizavam os filhos de jovens mães, porque não tinham nascido no matrimônio canônico. Fechavam a porta, escandalizavam o povo de Deus, por qual motivo? Porque o coração destes párocos tinha perdido a chave do conhecimento. Sem ir tão longe no tempo e no espaço, três meses atrás, num país, numa cidade, uma mãe queria batizar o filho recém-nascido, mas ela era casada civilmente com um divorciado. O pároco disse: “Sim, sim. Batizo a criança. Mas seu marido é divorciado. Fique de fora, não poderá estar presente na cerimônia”. Isso acontece hoje. Os fariseus, os doutores da lei não são coisas daqueles tempos, também hoje existem muitos. Por isso é necessário rezar por nós pastores. Rezar, a fim de que não percamos a chave do conhecimento e não fechemos a porta para nós e para o povo que quer entrar.” (RL/BF)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAPA FRANCISCO A ESTUDANTES DE ECONOMIA: "NÃO AO CULTO DO DINHEIRO"


Cidade do Vaticano (RV) – No final da manhã de quinta-feira (19/10), o Papa recebeu na Sala Clementina, no Vaticano, um grupo de 80 alunos e professores do ‘Instituto dos Chartreux’, escola particular francesa com sede na cidade de Lion.   
A escola oferece estudos preliminares no campo financeiro, com formação acadêmica que compreende uma forte dimensão humana, filosófica e espiritual. Foi a partir daí que o Papa começou o seu discurso ao grupo:
'Livres' do culto do dinheiro
"É essencial que desde já, e em sua vida profissional futura, vocês aprendam a permanecer isentos do fascínio do dinheiro e da escravidão que ele cria para quem faz dele um culto. É importante que possam ter a força e a coragem de não obedecer cegamente à mão invisível do mercado”.
Francisco encorajou os estudantes franceses a aproveitar o tempo de estudos e ser promotores e defensores do amadurecimento na equidade e artesãos de uma gestão adequada da nossa Casa Comum, ‘ou seja, o mundo’.
Não pisotear a dignidade dos pobres
“Cada injustiça feita contra um pobre é uma ferida aberta que reduz a sua própria dignidade. Convido vocês, cristãos, a permanecerem sempre unidos ao Senhor Jesus com a oração, confiando tudo a Deus e não caindo na tentação do desespero”.
E dirigindo-se aos não cristãos e ateus do grupo, concluiu:
“Com respeito e carinho, não se esqueçam jamais, que no olhar aos outros e a vocês mesmos, o homem supera infinitamente o homem, como dizia Pascal. Encorajo todos a trabalhar pelo bem, para serem humildemente semente de um mundo novo”.    (cm)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

EVANGELHO DO DIA


Lucas 11,47-54

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas. Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse o Senhor: 47“Ai de vós, porque construís os túmulos dos profetas; no entanto, foram vossos pais que os mataram. 48Com isso, vós sois testemunhas e aprovais as obras de vossos pais, pois eles mataram os profetas e vós construís os túmulos.    9É por isso que a sabedoria de Deus afirmou: Eu lhes enviarei profetas e apóstolos, e eles matarão e perseguirão alguns deles, 50a fim de que se peçam contas a esta geração do sangue de todos os profetas, derramado desde a criação do mundo, 51desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o santuário. Sim, eu vos digo: serão pedidas contas disso a esta geração. 52Ai de vós, mestres da Lei, porque tomastes a chave da ciência. Vós mesmos não entrastes, e ainda impedistes os que queriam entrar”.53Quando Jesus saiu daí, os mestres da Lei e os fariseus começaram a tratá-lo mal, e a provocá-lo sobre muitos pontos. 54Armavam ciladas, para pegá-lo de surpresa, por qualquer palavra que saísse de sua boca.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


19 de Outubro de 2017 - 5ª-feira da 28ª Semana do Tempo Comum 

- Romanos 3,21-30 - “o homem é justificado pela fé em Jesus” 

A nossa salvação não depende do cumprimento da lei, nem tampouco das nossas boas obras e da nossa oração, mas tão somente, na fé que tenhamos em Jesus Cristo. Por isso, São Paulo nos conscientiza de que a justiça de Deus para nós está fundamentada mediante a nossa fé em Jesus Cristo, pois por Ele, todos nós fomos justificados. Diante da realidade da fé em Jesus Cristo, não há distinção de pessoas, nem de doutrinas, todos foram privados da glória de Deus por causa do pecado original, no entanto, todos têm acesso à salvação, pois Cristo veio para salvar a todos os homens. Dentro da economia da salvação de Jesus, São Paulo nos garante, que nós, desde já, podemos nos tornar homens e mulheres, justos, se vivermos a partir da fé em Jesus Cristo. A Lei da fé em Jesus rege as nossas ações e, por isso, tudo o que empreendermos será para a glória de Deus e por intermédio da Sua bondade, pois em nada temos merecimento. Assim sendo, não podemos nos gloriar das nossas boas obras, mas sermos agradecidos a Deus por nos ter dado o Seu Filho Jesus que derramou o Seu sangue para nos purificar. Na nossa caminhada aqui na terra nós temos a prova de que não nascemos para viver a glória em vista da nossa humanidade e dos nossos feitos. Assim é que a maioria dos “astros” que alcançam fama e poder têm um fim de fracasso, e às vezes, morrem na desgraça. Precisamos, portanto, viver pela Lei da Fé, pois é um dom gratuito que nos garante a vida eterna. – Você vive pela Lei da fé em Jesus ou em função das suas boas obras? – Você acha que para ser salvo (a) terá que rezar muito? - Quem é que o (a) justifica diante de Deus?

Salmo - Sl 129,1-2. 3-4. 5-6 (R. 7)
R. No Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção!

O salmo nos ajuda a acolher com firmeza as palavras de São Paulo sobre as quais meditamos acima, pois, nos dá consciência da nossa incapacidade diante do nosso ser pecador. Se o Senhor levasse em conta as nossas faltas nós estaríamos perdidos, ninguém sobreviveria à morte eterna. Por isso, é nosso dever reconhecer a nossa incompetência e clamar a Deus a justiça que para nós é a salvação. O Senhor é a nossa única esperança, a Sua Palavra é o remédio para as nossas enfermidades. Por isso, é que a nossa alma, assim como o vigia espera o dia clarear, anseia pela misericórdia do Senhor.

Evangelho - Lucas 11,47-54 - “A chave do conhecimento do homem é a Palavra de Deus”


Este Evangelho é perfeitamente adaptável aos tempos de hoje, quando a promessa de Deus revelada por meio dos profetas e concretizada em Jesus também está sendo abafada e amordaçada. A onda da desesperança que cresce no nosso meio, mesmo entre os cristãos, está enterrando a Palavra de Deus. As gerações estão cheias de medo. O Evangelho de Jesus Cristo deve ser incarnado por nós tanto nas coisas que nos agradam como também naquelas que questionam o nosso comportamento. As gerações passam de uma para outra a mesma mentalidade. Os filhos acompanham os pais e, assim, tornam-se responsáveis e testemunhas do fracasso “aparente” da humanidade. Assim como nos ensinaram os nossos antecessores, nós também hoje, somos os que temos o papel de formar as gerações futuras. Por isso, quando Jesus se refere às más atitudes dos pais, que, atravessando as gerações são copiadas pelos filhos, Ele está nos exortando a cortar pela raiz toda má ação que reproduzimos, porquanto também aprendemos daqueles que nos geraram. A chave de todo conhecimento do homem é a Palavra de Deus. Por isso, é que nós temos a chave da ciência, isto é, do conhecimento de Deus. Não podemos reter somente para nós, tudo o que aprendemos e recebemos de Deus. “Os mestres da Lei” hoje somos todos nós que pregamos a Palavra, mas não a vivenciamos. Precisamos, sim, como Seus cooperadores na construção do Seu reino, escancarar as portas do nosso ser para que por aí possam entrar aqueles que ainda não conseguiram penetrar nos mistérios da Salvação de Jesus. – Como é o seu comportamento na edificação do reino de Deus: você tem sido profeta ou perseguidor dos profetas? – Como você encara as pessoas que ainda não tiveram nenhum acesso ao conhecimento de Deus? – Você abre o seu coração para que elas através de si possam conhecer o amor de Deus, ou entende que Ele é exclusividade sua?

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SÃO PAULO CRUZ


Nasceu em Ovada (Itália) em 1694, de piedosos pais, que muito educaram o filho no Cristianismo. Foi o segundo de 16 filhos. Quando jovem de oração e contemplativo, fez uma aliança com colegas, a fim de meditarem a Paixão e morte de Jesus.
De início, trabalhou com o pai e não sentia o chamado ao sacerdócio, mas, ao apostolado. Aos 19 anos, ouvido uma exortação do pároco, sentiu-se profundamente comovido e resolveu entregar-se inteiramente ao serviço de Deus. Assim, partilhou com um Bispo, o impulso de propagar a devoção à Paixão e morte daquele que morreu por amor à humanidade e salvação de cada um.
Enviado pelo Bispo, tornou-se instrumento de conversão para milhares, até que o Bispo ordenou-o sacerdote e, mais tarde, o Papa deu a licença para aceitar candidatos em seu Noviciado.
Nasceu desta maneira a Congregação dos Padres Passionistas, com a finalidade de firmar nos corações dos fiéis um grande amor à Paixão e morte de Nosso Senhor, através das missões populares. Além da Congregação dos Passionistas, fundou também um instituto feminino de estrita clausura: as Irmãs Passionistas.
Profundo devoto da Sagrada Paixão, o fundador São Paulo da Cruz desde que começou o apostolado sozinho não abandonou o hábito preto, a cruz branca e as duras penitências, como se alimentar de pão e água e dormir no chão. Depois de muito evangelizar (também através de seus muitos escritos) e alcançar milagres para o povo, associou-se à Cruz e à Nossa Senhora das Dores, para entrar como vitorioso no Céu em 1775, somando 81 anos de idade. O Papa Pio IX canonizou-o em 1867. O seu corpo venera-se na basílica dos santos João e Paulo.
São Paulo da Cruz, rogai por nós!
Fone: Canção Nova Notícias

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

"TEMPO DE VIVER A UNIDADE": MOTE QUE MARCA ANIVERSÁRIO DE 65 ANOS DA CNBB


“Tempo de Viver a Unidade”: mote que marca aniversário de 65 anos da CNBB
Desde o dia 14/10, data oficial do seu aniversário, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está realizando uma série de atividades para marcar, de forma solene, a celebração dos seus 65 anos, com o mote: “Tempo de Viver a Unidade”.
A celebração de aniversário de 65 da CNBB será uma “solenidade”. Desta forma o Subsecretário da entidade, padre Antônio Silva da Paixão (Nequinho) definiu, na última reunião com os(as) colaboradores(as) dia 9 de outubro, o caráter das atividades que estão programadas para não deixar a data passar em branco.
Mesa do bolo de aniversário. Foto: Imprensa CNBB – Luiz Lopes Jr.
Segundo o padre Nequinho: “há três tipos de festa: memória, festa e solenidade”. A festa é um evento com fim em si mesmo. A memória se restringe ao aspecto de lembrar fatos e a solenidade contém em si a festa e a memória. “A festa de 65 anos da CNBB não é uma festa qualquer, é uma solenidade. Vamos fazer memória e pensar o que nós em 2017 estamos contribuindo para que a CNBB seja o que ela precisar ser: ‘servidora’”, disse.
Para recuperar a memória, durante os meses de agosto a outubro, a equipe da Assessoria de Imprensa da CNBB desenvolveu uma série especial para o site com o nome “CNBB rumo aos 65 anos”, atualizando a cada semana informações novas sobre os presidentes e secretários da entidade, os regionais e suas comissões episcopais pastorais.
Sobre as comemorações, padre Nequinho afirmou que o propósito é reforçar a ideia da unidade que vem inspirando o planejamento 2017, contida no versículo bíblico: “Todos os membros, mesmo sendo muitos, formam um só corpo” (1Cor 12,12). “Cada parte precisa funcionar bem, quando uma parte não funciona bem, todo o corpo padece”, afirmou destacando o sentido da unidade em torno da realização da missão da CNBB.
A programação com atividades que estão marcando o aniversário da entidade teve início dia 14 de outubro, sábado, com celebração, palestra motivacional, com uma empresa especializada em “coach”, e almoço com direito a bolo de aniversário voltada para os(as) colaboradores(as) da entidade.
A programação se estende por toda semana com atividades que buscam, de diferentes formas, trabalhar a ideia da unidade. No dia 24/10, na Reunião do Conselho Permanente, da qual participam os bispos representantes dos 18 regionais da CNBB e das Comissões Episcopais Pastorais, será a solenidade de inauguração da nova casa e de homenagens pelos 65 anos da entidade.
Colaboradores(as) da CNBB. Foto: Assessoria de Imprensa CNBB – Luiz Lopes Jr.
PROGRAMAÇÃO:
14/10 – Celebração de aniversário da CNBB
16/10 – Pintando o mosaico
17/10 – Conhecendo a CNBB
18/10 – Músicas, causos e história da CNBB
19/10 – Encontro com os assessores
20/10 – Laboral de integração
24/10 – Reunião do Conselho Permanente – solenidade de inauguração da sede e homenagens


XIX ASSEMBLEIA ESTADUAL DA PASTORAL OPERÁRIA DO CEARÁ



A Pastoral Operária do Ceará realizará no dia 21 de outubro, das 8h às 17h, na sede da Pastoral Operária localizada na Av. Francisco Sá, 1833, no bairro Jacarecanga, Fortaleza-CE a sua XIX Assembleia Estadual com o tema “Desafios da Pastoral Operária e as novas perspectivas do mundo do trabalho”.
Informações pelos telefones (85) 3238-1400 / 98822-6156 – Pastoral Operária.
Por Coordenação Estadual da Pastoral Operária da Arquidiocese de Fortaleza Ceará

VATICANO DESMENTE RUMORES SOBRE MORTE DE BENTO XVI


Por Álvaro de Juana


Bento XVI. Foto: L'Osservatore Romano

Vaticano, 18 Out. 17 / 02:10 pm (ACI).- Há alguns dias, através do serviço de mensagens do Whatsapp, foi difundido um rumor sobre o grave estado de saúde de Bento XVI e outras mensagens que asseguram inclusive que ele teria morrido.

Entretanto, a Vice-diretora da Sala de Imprensa da Santa Sé, Paloma García Ovejero, desmentiu categoricamente ambos os rumores.

Hoje mesmo, na Espanha, os boatos foram além e são muitos os que estão recebendo mensagens nas quais dão por certo que o Papa emérito teria morrido.

Ontem, o Secretário pessoal de Bento XVI, Dom Georg Ganswein, também esclareceu os rumores sobre a saúde do Papa Emérito e explicou como realmente está Joseph Ratzinger.

“O irmão Georg Ratzinger voltou para casa ontem. Ambos permaneceram um bom tempo juntos, acho que foram os melhores dias”, explicou o Arcebispo, deixando claro que o estado de saúde do Papa Emérito não sofreu mudanças.

Fonte: ACI Digital

PAPA FRANCISCO CONDENA ATAQUE NA SOMÁLIA E IMPLORA CONVERSÃO DOS VIOLENTOS


Cidade do Vaticano (RV) – Na Audiência Geral desta quarta-feira o Papa Francisco condenou com veemência o ataque terrorista na Somália, assegurando sua oração às vítimas e implorando a conversão dos violentos:
 
“Desejo expressar a minha dor pela tragédia ocorrida há alguns dias em Mogadíscio, Somália, que provocou mais de 300 mortes, entre as quais algumas crianças. Este ato terrorista merece a mais firme condenação, também porque se volta contra uma população já tão provada. Rezo pelos falecidos e pelos feridos, pelos seus familiares e por todo o povo da Somália. Imploro a conversão dos violentos e encorajo a todos, que com grandes dificuldades, trabalham pela paz naquela terra martirizada”.
O atentado que ocorreu no sábado, em Mogadíscio, causou a morte de mais de 300 pessoas. A falta de um atendimento adequado às vítimas agrava a situação de um país cuja história está ligada à guerra, ao terrorismo do "al Shabaab", à pirataria no Oceano Índico e aos contínuos ciclos de secas..
Segundo alguns analistas, a crise no Golfo entre Catar e Emirados Árabes poderia estar por trás do atentado. (JE) (from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

PAPA NA AUDIÊNCIA: "DIANTE DA MORTE, CONSERVAR A CHAMA DA Fé"






Cidade do Vaticano (RV) – Na audiência geral desta quarta-feira (18/10), o Papa Francisco deu continuidade ao ciclo de catequeses que vem fazendo sobre a esperança cristã, refletindo sobre o tema ‘Felizes os mortos que morrem no Senhor’.
Cerca de 30 mil pessoas participaram do encontro na Praça São Pedro. Deficientes visuais, enfermos e muitos peregrinos idosos vieram de várias cidades da Itália, tomando parte do ‘Dia dos avós’.
 
O Papa saudou especialmente os grupos vindos do Brasil, em particular os fiéis da arquidiocese de Natal com o bispo, Dom Jaime, e os da arquidiocese de Londrina, convidando todos a permanecer fiéis a Cristo Jesus, como os Protomártires do Brasil.
“O Espírito Santo vos ilumine para poderdes levar a Bênção de Deus a todos os homens. A Virgem Mãe vele sobre o vosso caminho e vos proteja”.
“Hoje eu gostaria de fazer uma relação entre a esperança cristã e a realidade da morte, uma realidade que a nossa civilização moderna tende cada vez mais a cancelar. Assim, quando chega a morte de alguém que nos é querido, ou a nossa própria morte, nos encontramos despreparados”, disse o Papa, iniciando a catequese.
Francisco mencionou o trecho do Evangelho de João, quando a Marta, que chora pela morte de seu irmão Lázaro, Jesus assegura: “Teu irmão ressuscitará, pois quem crê em Mim, mesmo que tenha morrido, viverá”. “Eu não sou a morte; Eu sou a ressurreição e a vida. Crês nisto?” – pergunta ele a Marta.
O Papa lembrou que Jesus faz a mesma pergunta a cada um de nós, sempre que a morte dilacera o tecido da vida e dos afetos. Com a morte, a nossa existência toca o ápice, tendo diante de nós a vertente da fé ou o precipício do nada.
A filha de Jairo e a dor do pai
O desafio que então nos lança Jesus é continuar a crer. Assim fez Ele com Jairo, a quem acabam de comunicar que a sua filha morreu, não há mais nada a fazer... de que serve incomodar o Mestre?! Jesus ouve e apressa-se a tranquilizar Jairo: “Não tenhas receio; crê somente!”.
O Senhor sabe que aquele pai é tentado a deixar-se cair na angústia e no desespero, e recomenda-lhe que conserve acesa a chamazinha que arde no seu coração: a fé.
“Não tenhas medo! Continua a manter acesa a chama da fé!” E valeu? Sim; Jesus, chegando na casa dele, ressuscita a menina e entrega-a viva aos pais. No caso de Lázaro, ressuscita-o quatro dias depois de ele ter morrido; já estava sepultado. E Jesus manda-o sair do túmulo”.
Concluindo, o Papa afirmou que a esperança cristã se apoia e se alimenta desta posição que Jesus assume contra a morte. Por nós, nada podemos; ficamos indefesos perante o mistério da morte.
“Não tenhas receio – diz-nos Jesus –; crê somente!”. A graça de que necessitamos naquele momento – uma graça imensa! – é conservar acesa no coração a chama da fé. Porque Jesus há de vir, tomar-nos-á pela mão, como fez com a filha de Jairo, e ordenar-nos-á: “Levanta-te, ressuscita”.(cm)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano



18.10.2017 – Audiência Geral


VISITAS PASTORAIS: UMA MISSÃO EPISCOPAL



Resultado de imagem para dom almeida lustosaAs Visitas Pastorais têm sido um instrumento de aproximação entre os bispo e as comunidades dentro das dioceses. Apesar de ser uma prática regulamentada pelo Direito, é sobretudo uma oportunidade missionária, uma presença do Pastor junto ao seu rebanho, junto a sua comunidade, um verdadeiro ministério de animar e fortalecer a fé das comunidades. No que toca a Dom Antonio de Almeida Lustosa, suas biografias e escutando pessoas que lhe foram próximas, falam de um bispo apaixonado pelas Visitas Pastorais, em qualquer das dioceses em que esteve (Uberaba, Corumbá, Belém e Fortaleza), esforçando sobremaneira para que elas se realizassem. Assim, Dom Antônio, nesse mês das missões, fala com sua vida sobre uma Igreja em saída, uma igreja motivada e sonhada pelo Papa Francisco.
Dom Antônio de A. Lustosa nasceu em 1886, a 11 de fevereiro; seu episcopado se iniciou em 1925 e concluiu-se, como titular de uma diocese, no ano de 1963, quando então deixava a cátedra da Arquidiocese de Fortaleza. Essas datas indicam que seu episcopado não recebeu diretamente as orientações do Concílio Vaticano II, contudo, os testemunhos deixam claro que ele já trazia esse espírito de proximidade pastoral. As suas Visitas estavam fundamentadas no Código de Direito Canônico de 1917, que em continuidade com o Concílio de Trento determinava a Visita Pastoral, no entanto, em 1917 se estabeleceu que o bispo percorresse a sua diocese no espaço de cinco anos, não em um ano como tinha exigido Trento. No Código de 1983 permanece o mesmo período estipulado pelo Código de 1917 (CIC cân. 396-398). Mas uma visita que seria moldada por uma pesada estrutura burocrática, se tornava um desafio fazê-la de fato pastoral, e este teria sido o grande esforço e êxito de Dom Antônio de A. Lustosa.
Com suas Visitas Dom Antônio demoradamente observava a realidade de suas dioceses, não com o olhar de um frio observador, mas um olhar amoroso, de onde surgiu dois escritos que vieram a publicação: À margem da Visita Pastoral¸ sobre a realidade da Amazônia, quando trabalhou em Belém e Notas a lápis, uma memória de Visitas no Ceará. As obras demonstram como foi um homem em movimento, pelo que lhe coube o reconhecimento de Bispo Itinerante. De fato, chegando a Fortaleza em novembro de 1941, já em 1945 teria visitado quase toda a Diocese, que na época se estendia longamente pelo sertão (LEAL, 1992, p. 181).
Iniciadas as Visitas em 1942 pela Sé, foi também a outras paróquias. Em Redenção, no mês de setembro de 1942 ficou aí por 20 dias voltando à sua residência somente “depois de visitar diversas capelas, demorando-se cerca de dois dias em cada lugar […], tudo lhe interessava, desde as conversas singelas com os humildes sertanejos até os esclarecimentos agudos da experiência dos letrados” (LEAL, 1992, p. 180). O diferencial de suas visitas foi, para a época, não se encerrar na burocracia que o ambiente eclesiástico lhe impunha. Dom Antônio convivia, pregava, celebrava, visitava, escutava, com uma diligência que animava as comunidades.
Essa postura de Dom Antônio, antes do Concílio, era algo inovador, pois o espírito de abertura missionária para o episcopado viria apenas nesse Concílio (1962-1965). Diz o Decreto “Christus Dominus”, n. 17: “faça-se, sob a direção do Bispo, a coordenação e a íntima conjugação de todas as obras de apostolado. Assim, todas as iniciativas e instituições: catequéticas, missionárias, caritativas, familiares, escolares e quais quer outras de finalidade pastoral, se canalizem a uma ação de conjunto”. Ao que se testemunha, mesmo antes do Concílio, Dom Antônio vivia esse espírito, essa diligência pastoral, trazendo uma das características muito comuns aos santos: ser à frente de seu tempo.
O que as Visitas Pastorais demonstram é um pastor inquieto pela itinerância, o que hoje se chama de ardor missionário, Igreja em saída. Durante suas visitas, normalmente se fazia realizar uma animação missionária, com pregações, administração de sacramentos e visitações. Um ambiente missionário se instalava, pois “em nenhum lugar deixava D. Antônio de aproveitar a oportunidade do encontro com o pastor para uma pregação, tanto por sua própria palavra, como pela dos missionários e padres que o acompanhavam” (LEAL, 1992, p. 182).
Portanto, neste mês das missões, Dom Antônio de A. Lustosa nos transmite ardor missionário, como uma dedicação infindável pelo crescimento do povo de Deus. São João Paulo II, quando visitou o Brasil em 1980, disse de Dom Antônio: Santo e Sábio. A tal profecia do Santo se pode ousadamente dizer: Santo, Sábio e Missionário.
Pe. Abimael F. do Nascimento, msc
Assessor Teológico do Processo de Beatificação e Canonização.
Oração pela beatificação e canonização de Dom Antônio de Almeida Lustosa
Dignai-vos, Senhor,
aceitar a caminhada de nosso
irmão Dom Antônio de Almeida Lustosa rumo ao altar.
Ele, que em vida soube ser vosso servo fiel,
imolando-se no pastoreio das almas,
ensina-nos hoje admiráveis exemplos de virtudes cristãs
praticadas com tanto zelo sacerdotal.
Concedei, Senhor nosso Pai, a graça que por sua intercessão vos pedimos. Amém.
Pai Nossa, Ave Maria e Glória ao Pai.