sábado, 19 de agosto de 2017

PAPA FRANCISCO ENVIA TELEGRAMA DE CONDENAÇÃO PELO ATENTADO TERRORISTA DE BARCELONA


Papa Francisco. Foto: ACI Prensa

VATICANO,  (ACI).- Através de um telegrama, o Papa Francisco expressou “seu mais profundo pesar pelas vítimas que perderam a vida” no atentado terrorista perpetrado em 17 de agosto na cidade de Barcelona e oferece “sufrágios pelo descanso eterno”.
No telegrama, enviado ao Arcebispo de Barcelona, Cardeal Juan José Omella, pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, o Santo Padre define como “cruel atentado terrorista” e “ação desumana” o ataque perpetrado pelo Estado Islâmico que provocou 14 vítimas mortais e mais de 100 feridos.
O Cardeal Parolin indicou no telegrama que o Pontífice, “nestes momentos de tristeza e dor, quer trazer seu apoio e proximidade aos muitos feridos, suas famílias e toda a sociedade catalã e espanhola”.
“O Santo Padre condena a violência cega que é uma ofensa gravíssima ao Criador e eleva sua oração ao Altíssimo para que nos ajude a seguir trabalhando com determinação pela paz e a concórdia no mundo”, conclui o telegrama enviado pelo Secretário de Estado de Sua Santidade.

ATENDADO TERRORISTA EM BARCELONA, PEDEM ORAÇÕES PELA VÍTIMAS

Imagem referencial / Foto: Pixabay (Domínio Público)

BARCELONA,  (ACI).- Um desconhecido atropelou nesta quinta-feira com uma van dezenas de pessoas na movimentada área de Las Ramblas, em Barcelona (Espanha), deixando 13 mortos e mais de 50 feridos; um ato classificado de atentado terrorista pela da polícia da Generalitat da Catalunha.
A polícia local isolou a área. Segundo a imprensa local, o motorista fugiu. Entretanto, a situação se agravou ao informar-se que dois homens armados – um dos quais seria o motorista – entraram em um restaurante depois do atropelamento.
Através de sua conta de Twitter, os Mossos d’Esquadra – nome oficial da polícia da Generalitat da Catalunha –, indicou que foi confirmado que se trata de um atentado terrorista e “foi ativado o protocolo para esses casos”.



Fonte: ACI Digital

HOJE É CELEBRADO SÃO JOÃO EUDES, PROMOTOR DA DEVOÇÃO AO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS


REDAÇÃO CENTRAL, 19 Ago. 17 / 05:00 am (ACI).- “Autor, pai, doutor, apóstolo, promotor e propagandista da devoção litúrgica aos sagrados Corações de Jesus e Maria”. Foi assim que São Pio X definiu São João Eudes, cuja memória litúrgica a Igreja celebra neste dia 19 de agosto.
O sacerdote francês é o fundador da Congregação de Jesus e Maria e da Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor. Também foi ele quem, pela primeira vez,introduziu a festa pública do Sagrado Coração.
João Eudes nasceu em 14 de novembro de 1601, na Normandia, França. Era o primogênito dos seis filhos do casal Isaac e Marta. Desde menino, deu sinais de grande inclinação ao amor de Deus.
Aos 14 anos, João ingressou no colégio dos jesuítas de Caen. Seus pais desejavam que se casasse e seguisse trabalhando na granja da família. Mas João, que tinha feito voto de virgindade, recebeu as ordens menores em 1621 e estudou Teologia em Caen com a intenção de consagrar-se aos ministérios paroquiais.
Pouco depois ingressou na congregação do oratório, que tinha sido fundado em 1611. Depois de solicitar com grande dificuldade a permissão paterna, foi recebido em Paris pelo superior geral em 1623. A finalidade da congregação do oratório consistia em promover a perfeição sacerdotal. Dois anos depois, recebeu sua ordenação, dedicando-se integralmente à pregação entre o povo.
Em 1627, ocorreu na Normandia uma violenta epidemia de peste e João se ofereceu para assistir a seus compatriotas. O Pe. Eudes passou dois meses na assistência espiritual e material aos doentes. Depois, foi enviado ao oratório do Caen, onde permaneceu até que uma nova epidemia se desatou nessa cidade, em 1631. Para evitar o perigo de contagiar seus irmãos, João se separou deles e viveu no campo, onde recebia a comida do convento.
Passou os dez anos seguintes em missões evangelizadoras. São João Eudes se distinguiu entre todos os missionários. Assim que acabava de pregar, sentava-se para ouvir confissões, já que, segundo ele, “o pregador agita os ramos, mas o confessor é o que caça os pássaros”.
Uma das experiências que adquiriu durante seus anos de missionário, foi que as mulheres que tinham estado na prostituição e que tentavam se converter encontravam-se em uma situação particularmente difícil. Durante algum tempo, buscou resolver a dificuldade alojando-as provisoriamente nas casas das famílias piedosas, mas se deu conta de que esse remédio não era de todo adequado.
Assim, em 1671, São João Eudes alugou uma casa para as mulheres arrependidas, na qual podiam albergar-se, desde que encontrassem um emprego. Mais tarde, as religiosas que atendiam as mulheres arrependidas formaram a Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Caridade do Refúgio, ordem que deu origem, no século XIX, à Congregação de Nossa Senhora da Caridade do Bom Pastor, conhecida como as Irmãs do Bom Pastor.
Em 1643, depois de muito rezar, refletir e consultar, São João Eudes abandonou a congregação do oratório. A experiência lhe ensinou que o clero precisava se reformar dos fiéis e que a congregação só poderia conseguir seu fim mediante a fundação de seminários.
Decidiu formar uma associação de sacerdotes diocesanos, cujo objetivo principal seria a criação de seminários para a formação de um clero paroquial zeloso. A nova associação foi fundada no dia da Anunciação de 1643, em Caen, com o nome de “Congregação de Jesus e Maria”.
São João Eudes e seus cinco primeiros companheiros se consagraram à “Santíssima Trindade, que é o primeiro princípio e o último fim da santidade do sacerdócio”. O distintivo da congregação era o Coração de Jesus, no que estava incluído misticamente o de Maria; como símbolo do amor eterno de Jesus pelos homens.
Em 1671, publicou um livro intitulado “A Devoção ao Adorável Coração de Jesus”. Já antes, o santo tinha instituído em sua congregação uma festa do Santíssimo Coração da Maria. Em seu livro incluiu uma Missa e um ofício do Sagrado Coração de Jesus.
Em 31 de agosto de 1670, celebrou-se pela primeira vez a dita festa na capela do seminário de Rennes e logo se estendeu a outras Dioceses. Assim, embora São João Eudes não tenha sido o primeiro apóstolo da devoção ao Sagrado Coração em sua forma atual, foi ele “quem introduziu o culto do Sagrado Coração de Jesus e do Santo Coração da Maria”, como o disse Leão XIII em 1903. O decreto de beatificação acrescentava: “Foi o primeiro que, por divina inspiração lhes tributou um culto litúrgico”.
Clemente X publicou seis bulas nas que concedia indulgências às confrarias dos Sagrados Corações de Jesus e Maria, instituídas nos seminários de São João Eudes.
Durante os últimos anos de sua vida, o santo escreveu seu tratado sobre “O Admirável Coração da Santíssima Mãe de Deus”; trabalhou na obra muito tempo e a terminou um mês antes de morrer, no dia 19 de agosto de 1680.
Foi canonizado em 1925 e sua festa foi incluída no calendário da Igreja do ocidente em 1928.

Fonte: ACI Digital

FACE DE CRISTO REALIZA SEMINÁRIO DE VIDA NO ESPÍRITO SANTO PARA JOVENS


A Comunidade Católica Face de Cristo abriu inscrições para a realização de um Seminário de Vida no Espírito Santo, de 25 a 27 de agosto, em sua sede, à Rua Dr. Edmilson Barros de Oliveira, 191, no bairro Cocó. Os organizadores pedem que os jovens "chame seus amigos e marque presença no evento".
Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (85) 3258.1188.

EVANGELHO DO DIA

Mateus 19,13-15
Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.— Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 13levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreendiam. 14Então Jesus disse: “Deixai as crianças e não as proibais de vir a mim, porque delas é o Reino dos Céus”.15E depois de impor as mãos sobre elas, Jesus partiu dali. Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE


19/08/2017 - Sábado XIX semana comum

- 1a. Leitura – Josué 24,14-29 – “Nós também podemos fazer a nossa escolha”

“quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor”! Com estas palavras Josué conclamava o povo de Israel a fazer uma escolha entre servir ao Senhor ou servir aos deuses a quem se submetiam os amorreus, habitantes da terra que eles conquistaram. O povo motivado pelo seu testemunho, respondeu prontamente, prometendo servir o Senhor Deus. No entanto, Josué, lhes abria os olhos, pois sabia que aquele povo era volúvel: “tirai do meio de vós os deuses estranhos e inclinai os vossos corações para o Senhor, Deus de Israel”. Nós também podemos fazer a nossa escolha; ou servimos ao Deus que nos criou e a Ele prestamos culto ou servimos aos ídolos do mundo, dinheiro, pessoas notáveis, astros, políticos, bens materiais, vícios, prazeres, etc. Se escolhemos servir a Deus devemos levar em conta de que Ele é ciumento e não suportará as nossas transgressões e traições. Quando assumimos compromisso com Ele nós o devemos fazer não somente com palavras, mas com obras. Em qualquer estágio da nossa vida podemos servir ao Senhor fielmente, quando O temos como centro da nossa existência. Servir a Deus significa obedecer à Sua Lei e tê-la gravada no nosso coração para manifestá-la nas nossas obras. Somos incoerentes quando dizemos que servimos ao projeto de Deus e continuamos com as mesmas práticas, servindo a ídolos como o dinheiro, ganância, prazeres carnais, fama, poder, etc... Todavia, não nos basta servir ao Senhor, isoladamente: “eu e minha casa”, significa, eu e minha família, eu e minha vida, eu e a minha descendência. Nós vamos à frente e abrimos o caminho para que os outros nos acompanhem. Que o nosso testemunho, portanto, seja legítimo com o que Deus espera de nós. - Qual tem sido a sua influência na sua família, para que ela conheça Jesus? - Você se acha um fiel servidor de Deus? Você já tirou da sua vida os deuses estranhos? – Você já pode dizer, eu e minha casa servimos ao Senhor?


Salmo 15 – “O Senhor é a porção da minha herança!”

Quando escolhemos a Deus como Senhor da nossa vida nós podemos estar tranquilos, pois, com certeza, Ele está atento a todos os nossos passos e em tudo o que nos acontece nós percebemos Sua presença. O salmista proclama que o Senhor é a sua herança e a sua taça, isto é, tudo o que ele espera na vida e a alegria para a sua caminhada. O Senhor é um guarda fiel e até de noite nos aconselha quando dormimos.


Evangelho – Mateus 19,13-15 – “ modelo do reino de Deus é a criança”

Os homens, na sua maioria, não gostam de ser tratados como crianças, pois se consideram sábios e inteligentes. Jesus, no entanto, dá a criança como modelo a ser seguido por aqueles que querem participar do Seu reino. Neste Evangelho, mais uma vez Jesus enfatiza o valor de sermos como criancinha, isto é, simples, dependente e confiante. A criança é o símbolo do ser fraco sem pretensões sociais: ela é simples, não tem poder nem ambição, vazia de si mesma e pronta para receber o Reino. A dependência, a naturalidade, a confiança, a entrega nas mãos dos pais, o coração transparente, a alegria, o suplicar, o pedir, o querer estar perto dos seus, o carinho, a inocência, a falta de maledicência, tudo isto, faz a diferença entre a criança e o homem velho. O Senhor quer que nós tenhamos esse coração de criança, renovado, que não julga, mas espera confiante, que ora e suplica. Somente assim nós poderemos viver o reino dos céus, aqui! O mundo chama de tolos os que assim vivem, porém o que é tolice para o mundo é sabedoria para Deus. – Você quer ser como uma criança nas mãos do Pai? – Você confia plenamente que Deus é Pai e quer olhar por você a cada momento? - Para você o que significa ser criança? Você age como criança? - Qual a maior virtude da criança? Procure imitá-la.

Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho


SANTO DO DIA - SÃO JOÃO EUDES

O santo deste dia foi definido por São Pio X como “autor, pai, doutor, apóstolo, promotor e propagandista da devoção litúrgica aos sagrados Corações de Jesus e Maria”. São João Eudes nasceu na Normandia, em 1601, num tempo em que o século XVII estava sendo marcado pelo jansenismo, quietismo e filosofismo.
Ao viver numa família religiosa, João estranhou quando externando seu desejo de consagrar-se a Deus encontrou barreiras com o seu pai, que não foram maiores do que o chamado do Senhor, por isto com 24 anos estava sendo ordenado Sacerdote. Homem de Deus, soube colher e promover os frutos do Espírito para a época, tanto assim que foi importantíssimo para a renovação e formação do Clero, evangelização das massas rurais e difusão da espiritualidade centrada nos Corações de Jesus e de Maria, a qual venceu com o amor afetivo de Deus as friezas e tentações da época.
São João Eudes, com suas inúmeras missões e escritos, influenciou fortemente todo o seu país e o mundo cristão. Depois de fundar a Congregação de Jesus e Maria (Eudistas), ao lado do ramo feminino chamada Refúgio de Nossa Senhora da Caridade, São João Eudes entrou no Céu em 1680 e foi canonizado em 1925.
São João Eudes, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

CRISMA NA PARÓQUIA SÃO JOÃO EUDES


Dentro dos festejos em honra a São João Eudes, a paróquia programou para o oitavo dia do novenário em honra a seu padroeiro, a Crisma de 18 católicos, dentro da celebração eucarística  do 8º dia do Novenário de São João Eudes, presidida por dom Rosalvo Cordeiro de Lima, bispo auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza, que fez uma homilia se dirigindo aos crismando, com muito carinho e dizendo para eles de seu compromisso para com a Igreja, que é o de continuar elevando bem alto o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.


A celebração foi animada pelo coral independente Vozes de Outono, com duas dezenas de membros e regido pela maestrina Célia Cortez, que agradou aos participantes da Missa, que contou ainda com a participação dos padres Luís Gabriel Mendoza, pároco; do vigário Juan Carlos e Johnja Lopez.




FAMÍLIA CONFIRMADA NA FÉ
A mãe Cristiane,os filhos Bruno e Ítalo e a nora Cíntia estavam entre os crismados da Paróquia São João Eudes. O pai Adelardo já era crismado. Estavam muito felizes! 

AGRADECIMENTO

No final da celebração, o padre Luís Gabriel dirigiu-se aos crismandos, para depois agradecer ao coral, pela sua belíssima apresentação e a todos que vieram prestigiar essa celebração.
Mas o seu agradecimento especial foi para dom Rosalvo, que presidiu a celebração e no final  pediu uma salva de palmas, com o bispo apontando para Jesus Cristo, como que dizendo “a Ele a glória. A Ele o louvor. A Ele o domínio. Ele é o Senhor!”.

PROGRAMAÇÃO

Os festejos em honra a São João Eudes,  que chega ao 9º Dia, hoje, ficarão encerrados amanhã com um procissão começando às 18 horas. Às 19 horas, Santa Missa, presidida por dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo de Fortaleza e, às 20 horas, convívio e encerramento da festa.

Hoje, terço, novena e Missa e depois Convivio.

PADRE ZEZINHO RESPONDE A PASTOR QUE ZOMBOU DE NOSSA SENHORA APARECIDA


Pe. Zezinho / Foto: Facebook Padre Zezinho, scj


REDAÇÃO CENTRAL, 18 Ago. 17 / 12:55 pm (ACI).- Recentemente começou a circular nas redes sociais um vídeo que mostra um pastor protestante zombando de Nossa Senhora Aparecida; em resposta, o conhecido sacerdote brasileiro Pe. Zezinho, scj, condenou este ato e sublinhou a importância de Maria para os católicos.

No vídeo, o pastor Agenor Duque aparece com uma garrafa de coca-cola na mão, a qual compara com a imagem da Padroeira do Brasil e profere insultos contra ela, chegando a incentivar as pessoas a jogar fora suas imagens de santos.

O Pastor Agenor, “simbolicamente, deixou cair a garrafa dizendo que aquela garrafa não ora, nem ouve, nem pode ajudar a sua plateia-assembleia”, relatou Pe. Zezinho em uma publicação em sua página de Facebook.

“É claro que estava ridicularizando nossas imagens e símbolos e também nossa Bíblia, porque a nossa Bíblia e as Bíblias que imagina que ele usa também não falam porque são feitas de papel”, acrescentou.

Para responder ao ato do pastor da Igreja Plenitude do Poder de Deus, Pe. Zezinho afirmou: “Tenho 76 anos e, pela sua atuação na TV, o pastor Agenor Duque está a menos tempo pregando a fé cristã! Também não conheço seus escritos e sua formação em filosofia, sociologia ou teologia. Realmente não sei qual é a sua vertente cristã !”.


Entretanto, salientou que o gesto dele foi “uma agressão totalmente desnecessária ao ridicularizar uma de nossas imagens de Maria”.

“Temos muitas imagens dela através do mundo mostrando que a mãe de Jesus é mãe para negros, índios, europeus, esquimós, árabes, escravos e libertos, porque a vemos vestindo as dores, as vestes e as cruzes de quem sofre”, completou.

Por outro lado, em relação ao pastor Duque, citou outros vídeos em que aparece vestido “de mendigo e supostamente quer dizer alguma coisa com aquelas vestes de quem sofre e não visa riqueza nem lucro”.

Além disso, no vídeo, o pastor “quis dizer que é mais fiel a Jesus do que nós católicos, porque ele não pede oração à Mãe de Jesus nem acredita na intercessão dos santos do céu, embora ele mesmo na TV intercede por seus fiéis como santo pastor da terra que ele afirma ser”.

“Quem ora pelos seus fiéis está intercedendo. Maria faz a mesma coisa no céu onde o Filho a levou. Ou será que o pastor acha que Jesus ainda não levou sua mãe para o céu?”, questionou.

De acordo com Pe. Zezinho, “esse tipo de pregação ridicularizando Maria raramente dá certo” e “até mesmo entre seus ouvintes e fiéis haverá crentes chocados com o desrespeito do pregador pela Mãe de Jesus”.

O sacerdote esclareceu que “uma coisa é repercutir um vídeo de outra igreja e mostrar o que eles estão pregando; e outra coisa é vilipendiar um culto de outra igreja”.

Nesse sentido, “se um advogado católico quiser processá-lo por desprezo à religião e aos símbolos da outra igreja”, o pastor “terá enorme dificuldade em provar que não agrediu a nossa fé”.

“O pastor Agenor Duque, que se veste de mendigo humilde, nos ofendeu e chamou-nos de ignorantes porque ousamos representar Maria negra em veste azul. Acho que ele não lembrou que ele também é uma imagem exótica, quando ele mesmo entra naquele palco vestido de mendigo para anunciar sua igreja”, acrescentou.

Fonte ACI Digital

CARDEAL CÂMARA, O "HOMEM QUE SOUBE SERVIR COM TENACIDADE CONVERTIDA EM FERVOR"

Cardeal Câmara, o “homem que soube servir com tenacidade convertida em fervor”
O segundo presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o cardeal Jaime de Barros Câmara teve papel fundamental no projeto de fundação da Conferência Episcopal. Na série “CNBB – Rumo aos 65 anos”, conheça o homem que, de acordo com os críticos da época, era conhecido por “servir com tenacidade convertida em fervor”.
Nascido em 1894, em São José (SC), dom Jaime de Barros Câmara teve uma infância simples e humilde. Seu ministério episcopal foi marcado pela bondade, humildade e apego às orações e à tradição litúrgica. O cardeal era “um homem avesso à pompa e à ostentação”, como diziam os jornais da época.

Padre Jaime, por ocasião de sua ordenação sacerdotal, em 1920. Foto: Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio de Azambuja
Ordenado sacerdote em 1920, em Florianópolis (SC), dom Jaime na época, com 26 anos, atuou na arquidiocese de Florianópolis. Por lá desempenhou importantes papeis, inclusive o de reitor de um dos seminários da arquidiocese e do Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio de Azambuja. Em 1935, foi nomeado camareiro secreto do papa Pio XI, passando a usar o título de monsenhor.
Assumiu a diocese Mossoró, no Rio Grande do Norte, em 1935, quando o papa Pio XI o nomeou. Em 1941, era a vez de assumir a arquidiocese de Belém do Pará, onde durante seu governo pastoral promoveu a reforma dos estatutos do seminário, e criou o Colégio Progresso Paraense, a sede do Círculo Operário e o Seminário Ferial, locais que hoje assumem outros nomes. Em 1943, foi designado pelo papa Pio XII para a arquidiocese do Rio de Janeiro. Por lá deu grande apoio às igrejas orientais no Brasil, como é o caso da Igreja de São Basílio, erigida por ele como paróquia.
“Dom Jaime nunca foi homem de rompantes nem quixotadas e sempre soube conciliar, mais do que qualquer outra autoridade eclesiástica, sua sincera e profunda adesão à Igreja Católica com uma tolerância cristã em face das fraquejas humanas”, trecho de artigo publicado no jornal “Correio da Manhã”.
Cardinalato

Na foto, dom Jaime Câmara já tinha sido criado cardeal. Foto: Santuário de Nossa Senhora do Caravaggio de Azambuja
No consistório presidido pelo papa Pio XII, em 1946, dom Jaime foi criado cardeal com o título dos santos Bonifácio e Aleixo, do qual tomou posse solenemente em fevereiro do mesmo ano. Foi como cardeal e arcebispo do Rio de Janeiro que participou da assembleia de instalação da CNBB, em sua residência, no Palácio de São Joaquim, em 1952, no Rio de Janeiro.
No dia 14 de outubro nascia então a CNBB, a ata de instalação contou com a assinatura dos cardeais Jaime e Carmelo, 17 arcebispos do Brasil e o Núncio Apostólico.
“Dom Jaime exerceu também a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, e era Secretário do regional Leste 1 da CNBB (reeleito). Destacou-se também Dom Jaime, pelas suas inúmeras e contínuas visitas pastorais bem como retiros para religiosas”, trecho de artigo publicado no jornal “O Dia”.
Além de participar da instalação da CNBB, seis anos depois, em 1958, dom Jaime tomou posse como o segundo presidente da Conferência, após renúncia do seu antecessor reeleito para o cargo. O cardeal exerceu o posto até 1963. Foi ainda durante o seu mandato que houve a divisão da circunscrição eclesiástica da Igreja no Brasil. Criaram-se os primeiros regionais da CNBB que foram decisivos em sua dinamização; hoje são 18 ao todo.
Dom Jaime Câmara faleceu aos 76 anos de idade, no Palácio Paulino, em Aparecida do Norte (SP), em 1971, vítima de um edema pulmonar.
“A Igreja perdeu, com a morte de dom Jaime Câmara, um dos seus mais ilustres prelados, e o povo brasileiro um dedicado pastor, atento aos problemas e sofrimentos de seu grande rebanho”, trecho publicado no jornal “O Dia”.
 Fonte: CNBB

PAPA FRANCISCO ACOMPANHA ATENTADO EM BARCELONA E ESTÁ UNIDO EM ORAÇÃO



Cidade do Vaticano (RV) – “O Santo Padre condena a violência cega que é uma ofensa gravíssima ao Criador e eleva sua oração ao Altíssimo para que nos ajude a seguir trabalhando com determinação pela paz e a concórdia no mundo”.
Após as declarações do Diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé no início da noite de quinta-feira manifestando a preocupação do Papa pelo atentado ocorrido em Barcelona, no telegrama enviado esta sexta-feira ao Arcebispo de Barcelona, Dom Juan José Omella y Omella, o Pontífice condena o atentado e exorta a seguir os esforços em favor da paz.
Francisco expressa ainda “seu mais profundo pesar pelas vítimas que perderam a vida em uma ação tão desumana e oferece sufrágios pelo descanso eterno”.
Na mensagem assinada pelo Cardeal Secretário de Estado, Pietro Parolin, o Papa diz que “nestes momentos de tristeza e de dor, quer fazer chegar também seu apoio e proximidade aos numerosos feridos, a suas famílias e a toda a sociedade catalã e espanhola”.
Com o desejo de que Deus “nos ajude a seguir trabalhando com determinação pela paz e a concórdia no mundo”, Sua Santidade “invoca sobre todas as vítimas, seus familiares e o querido povo espanhol, a Bênção Apostólica”.
No início da noite de quinta-feira o porta-voz do Vaticano, Greg Burke, havia divulgado um comunicado dizendo que "O Santo Padre está ao lado do povo espanhol, especialmente dos feridos e das famílias das vítimas”.
A Igreja espanhola condena
Proximidade e oração pelas vítimas e suas famílias, apoio à sociedade e às forças policiais e firme condenação do atentado: assim os bispos do país se expressam em nota difundida logo após o ataque que abalou a cidade. Segundo fontes oficiais, são 13 os mortos e 80 os feridos, dos quais 15 em estado grave.
“Diante deste episódio trágico e abominável – consta na nota – a Conferência Episcopal Espanhola condena toda demonstração de terrorismo, prática intrinsecamente perversa, totalmente incompatível com a visão moral da vida. Não apenas lesa seriamente o direito à vida e à liberdade, mas é a mais dura demonstração de intolerância e totalitarismo”.
“Pedimos a todos os fiéis que elevem orações a Deus para que conceda o descanso eterno aos falecidos, restabeleça a saúde das outras vítimas, dê consolo às famílias e preencha de paz o coração das pessoas de boa vontade, a fim de que nunca mais se repitam atos tão deploráveis”, encerra o comunicado.
Reações
Líderes políticos de todo o mundo, personalidades artísticas e esportivas, instituições prestaram solidariedade às vítimas e muitos recorreram às redes sociais para deixar registrado seu repúdio ao ato e suas condolências às famílias da vítimas. 
O Estado Islâmico reivindicou a autoria do ataque, que deixou 14 mortos e 80 feridos no calçadão da Rambla na capital da Catalunha.(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

ENCONTROS COM PUTIN E KIRILL NA AGENDA DO CARDEAL PAROLIN EM MOSCOU


Cidade do Vaticano (RV) – O Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin estará em visita à Federação Russa de 20 a 24 de agosto, a convite das autoridades do país.
A Santa Sé divulgou o programa da visita do Cardeal Secretário  que estará acompanhado por Dom Visvaldas Kulbokas, Conselheiro da Nunciatura, Oficial do Departamento para as Relações com os Estados da Secretaria de Estado.
“O objetivo da visita é encontrar as mais altas Autoridades civis e os expoentes da Igreja Ortodoxa Russa – refere um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé. Será também ocasião para manifestar a proximidade espiritual do Papa  à comunidade católica local”.
Nos vários colóquios, além das temáticas relativas à questões de interesse bilateral, figuram aquelas pertinentes à situação internacional, em particular, à busca de soluções pacíficas aos conflitos existentes, com precípua atenção aos aspectos de caráter humanitário.
A agenda
Para a segunda-feira, 21 de agosto, está prevista uma reunião do Cardeal com os bispos católicos do país.  Na parte da tarde será celebrada uma Missa na Catedral da Imaculada Conceição em Moscou, seguida por um momento de convivência e partilha com os representantes do clero e do laicato.
No mesmo dia, o Cardeal Parolin deverá encontrar o Metropolita Hilarion de Volokolams, Presidente do Departamento para as Relações Externas do Patriarcado de Moscou.
A terça-feira, 22 de agosto, será dedicada a um encontro de trabalhos com o Ministro dos Assuntos Exteriores Sergey Lavrov e, na parte da tarde, a visita ao Patriarca Kirill.
Na quarta-feira, 23, o Secretário de Estado irá à Sochi para um encontro com o Presidente Vladimir Putin.
Na manhã de quinta-feira, 24 de agosto, o Cardeal retorna à Roma.(JE)(from Vatican Radio)
Fonte: Rádio Vaticano

10° MUTIRÃO BRASILEIRO DA COMUNICAÇÃO LEVA QUASE MIL PESSOAS À DIOCESE DE JOINVILLE (SC)



10º Mutirão Brasileiro da Comunicação leva quase mil pessoas à diocese de Joinville (SC)
Cerca de 700 pessoas se inscreveram e se encontram neste final de semana no centro de convenções “Expoville”, na cidade catarinense de Joinville. Elas participam da décima edição do Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom) promovido pela CNBB. Além delas, centenas de pessoas participam como voluntárias para favorecer o pleno andamento da programação que foi aberta, solenemente, na quarta-feira, 16 de agosto, com uma conferência proferida pelo Monsenhor Dario Viganò,  prefeito da Secretaria de Comunicação da Santa Sé. Auxiliado pelo responsável pela redação brasileira no Vaticano, o jornalista paranaense, Silvonei José, Viganò tratou de particularidades da comunicação do Papa Francisco e apresentou, em linhas gerais, os passos dados e ainda a serem realizados para a reforma da Mídia da Santa Sé.
Na quinta-feira, a primeira atividade do dia foi a celebração da Eucaristia presidida por dom Francisco Carlos Bach, bispo de Joinville. Ainda na parte da manhã, dois professores trataram do tema central do encontro, a educação para a comunicação, com o enfoque na “Educomunicação”: a irmã paulina Helena Corazza e o Pe. Maurício Cruz. Entre as conferências, foi realizada uma atividade cultural na qual foi apresentada o trabalho da Rede Vida de Televisão. Depois do almoço, os participantes do Muticom participaram de 10 oficinas com diversos temas. À noite, depois da projeção do documentário “Labaca”, foi realizada a apresentação do Balé Bolshoi do Brasil.
Sexta-feiraNesta sexta-feira, 18 de agosto, o dia de atividades se abre com a Celebração da Palavra com participação ecumênica. Em seguida, será feita a terceira grande conferência do encontro pelo Prof. Ismar de Oliveira Soares, da Universidade de São Paulo. ele vai tratar do “processo dialógico da comunicação”. A quarta palestra importante será dada pelo repórter da RBS TV, afiliada da Rede Globo, Ricardo Von Dorff que apresentará o tema: “educar através da informação – o risco do fake news”. Entre as duas palestras, a TV Aparecida e a TV Canção Nova vão fazer atividades culturais.
Na parte da tarde, como na quinta-feira, os participantes poderão participar de oficinas com  temas específicos como “leitura crítica dos meios de comunicação”, com Elson Faxina, “oratório”, com Lena de Souza e “o uso de aplicativos na evangelização” com Leonardo Silva. No final do período, dom Darci José Nicioli, presidente da Comissão Episcopal para a Comunicação da CNBB coordena partilhas do público presente e faz o anúncio da cidade que vai sediar o 11º Muticom, em 2019. De noite, haverá homenagens a dom Irineu Roque Scherer, bispo de Joinville, falecido há um ano e ao Pe. Zezinho. O dia se concluirá com uma apresentação especial dos Cantores de Deus.
Sábado e domingo
Os participantes do 10º Muticom deixam a cidade de Joinville, bem cedo, cerca de 6hs, e partem para o Santuário de Madre Paulina, em Nova Trento (SC), onde será realizada a celebração de encerramento do encontro. Preside, dom Darci José Nicioli. O almoço será oferecido nas instalações de apoio do Santuário e o retorno à Joinville está marcado para se realizar às 14hs.
No domingo, todos são convidados a participar das missas nas comunidades da cidade de Joinville, incluindo a grande celebração na Catedral Nossa Senhora de Fátima.
Fonte: Site da Arquidiocese de Fortaleza

EVANGELHO DO DIA


Mateus 19,3-12

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 3alguns fariseus aproximaram-se de Jesus, e perguntaram, para o tentar: “É permitido ao homem despedir sua esposa por qualquer motivo?” 4Jesus respondeu: “Nunca lestes que o Criador, desde o início, os fez homem e mulher? 5E disse: ‘Por isso, o homem deixará pai e mãe, e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne’? 6De modo que eles já não são dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe”.7Os fariseus perguntaram: “Então, como é que Moisés mandou dar certidão de divórcio e despedir a mulher?” 8Jesus respondeu: “Moisés permitiu despedir a mulher, por causa da dureza do vosso coração. Mas não foi assim desde o início. 9Por isso, eu vos digo: quem despedir a sua mulher – a não ser em caso de união ilegítima – e se casar com outra, comete adultério”. 10Os discípulos disseram a Jesus: “Se a situação do homem com a mulher é assim, não vale a pena casar-se”.11Jesus respondeu: “Nem todos são capazes de entender isso, a não ser aqueles a quem é concedido. 12Com efeito, existem homens incapazes para o casamento, porque nasceram assim; outros, porque os homens assim os fizeram; outros, ainda, se fizeram incapazes disso por causa do Reino dos Céus. Quem puder entender entenda”.— Palavra da Salvação.

REFLEXÕES SOBRE AS LEITURAS DE HOJE

18/08/2017 - 6ª. feira XIX semana comum

- 1a. Leitura – Josué 24, 1-13 – “A nossa história não começou em nós, nem tampouco irá terminar conosco”.

Daniel transmite ao povo de Israel a Palavra de Deus que lhe recorda a trajetória de vida dos seus pais, desde Abraão, Isaac e Jacó, sua entrada e saída da escravidão do Egito. Dá a eles consciência das maravilhas e prodígios realizados por Deus na travessia do deserto até a chegada a Jericó e a terra prometida. Tudo o que possuíam lhes foi dado por Deus, terra, cidades, plantações e frutos numa demonstração de que Ele providencia o essencial para todas as necessidades. Se nós também fizéssemos o exercício de olhar para trás e enxergar a trajetória da nossa vida, da vida da nossa família, de todos os acontecimentos da nossa história, iríamos, com certeza, perceber que a cada instante, e em toda a dificuldade, a mão de Deus esteve sobre nós. A nossa história não começou em nós, nem tampouco irá terminar conosco. Antes de nós existiram os nossos ancestrais com quem Deus fez uma Aliança de Amor. Josué reuniu as tribos de Israel para que tomassem conhecimento de toda a sua história. Assim também nós poderíamos fazer quando nos reunimos em família: recordar para os mais jovens o nosso itinerário de vida dando a eles testemunho da providencia do Senhor. Esta, com certeza, é uma maneira segura de passarmos para as futuras gerações a nossa experiência, que lhes serviria como aprendizado. Que possamos perceber como este trecho se torna atual na nossa vida! - Faça uma retrospectiva da vida da sua família e da sua comunidade e anote o que “os seus olhos veem”. - O que você terá para contar aos seus filhos e netos? Registre tudo. Você precisa escrever a sua história.


Salmo 135 – “Eterna é a sua misericórdia!”

O amor de Deus é eterno porque é constante e nunca se acaba. Em qualquer situação que nós estejamos, mesmo em pecado, Deus nos ama e espera por nós. A misericórdia é uma característica deste amor infinito. Por Amor foi que Jesus deu a vida por nós e é com Amor que Ele espera pacientemente que nós reconheçamos a sua bondade infinita. Demos graças ao Senhor, porque ele é bom!


Evangelho – Mateus 19, 3-12 – “o matrimonio é uma aliança de amor abençoada por Deus, e com vocação de eternidade”

Deus faz aliança com o homem e a mulher para perpetuar a espécie, não apenas procriando, mas difundindo o Seu amor no mundo e deu a esse homem e a essa mulher o encargo de se unirem para povoar a terra e nela espalhar a semente do
Seu amor, por meio dos filhos que gerarem. O que mantém a integridade do matrimônio são a reciprocidade, a amizade, e a vivência de um mesmo ideal em conformidade com a Palavra de Deus. Por isso, Jesus recusa ver o matrimônio a partir de permissões ou restrições legalistas. Ele reconduz o matrimônio ao seu sentido fundamental: aliança de amor e, como tal, abençoada por Deus, e com vocação de eternidade. Marido e mulher são igualmente responsáveis por uma união que deve crescer sempre. No entanto, Jesus mesmo é quem nos fala: “existem homens incapazes para o casamento”. Nem todos estão preparados para enfrentarem os desafios de uma vida a dois, por isso, percebemos que em muitos casamentos não foi bem aprofundada a questão da complementaridade entre o homem e a mulher. Jesus adverte para que o compromisso seja conscientemente assumido diante de Deus que faz dos dois, uma só carne. “O que Deus uniu o homem não separe”. Esta Palavra deve servir de base para um discernimento muito maior entre aqueles que escolhem a sua vocação. Uma vez unidos, juntos, completados, quem poderá separá-los?
- Se você escolheu ou ainda não escolheu sua vocação, o que é que o Espírito lhe revela sobre isso? - Você está certo (a) de que o que Deus une o homem não separa?
“Cada matrimônio é certamente fruto do livre consenso do homem e da mulher, mas a sua liberdade traduz em ato a capacidade natural inerente à sua masculinidade e feminilidade. A união realiza-se em virtude do desígnio do próprio Deus, que os criou homem e mulher, dando-lhes o poder de unir para sempre aquelas dimensões naturais e complementares das suas pessoas. A indissolubilidade do matrimônio não deriva do compromisso definitivo dos contraentes, mas é intrínseca à natureza do "poderoso vínculo estabelecido pelo Criador" (João Paulo II, Catequese de 21 de Novembro de 1979, n. 2).



Helena Serpa,
Fundadora da Comunidade Missionária Um Novo Caminho

SANTO DO DIA - SANTA HELENA


Nascida no ano de 255 em Bitínia, de família plebeia, no tempo da juventude trabalhava numa pensão, até conhecer e casar-se com o oficial do exército romano, chamado Constâncio Cloro.
Fruto do casamento de Helena foi Constantino, o futuro Imperador, o qual tornou-se seu consolo quando Constâncio Cloro deixou-a para casar-se com a princesa Teodora e governar o Império Romano. Diante do falecimento do esposo, o filho que avançava na carreira militar substituiu o pai na função imperial, e devido a vitória alcançada nas portas de Roma, tornou-se Imperador.
Aconteceu que Helena converteu-se ao Cristianismo, ou ainda tenha sido convertida pelo filho que decidiu seguir Jesus e proclamar em 313 o Édito de Milão, o qual deu liberdade à religião cristã, isto depois de vencer uma terrível batalha a partir de uma visão da Cruz. Certeza é que no Império Romano a fervorosa e religiosa Santa Helena foi quem encontrou a Cruz de Jesus e ajudou a Igreja de Cristo, a qual saindo das catacumbas pôde evangelizar e com o auxílio de Santa Helena construir basílicas nos lugares santos.
Faleceu em 327 ou 328 em Nicomédia, pouco depois de sua visita à Terra Santa. Os seus restos foram transportados para Roma, onde se vê ainda agora, no Vaticano, o sarcófago de pórfiro que os inclui.
Santa Helena, rogai por nós!
Fonte: Canção Nova Notícias

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

BISPOS REFERENCIAIS E COORDENADORES DE REGIONAIS DA PASCOM ENCONTRAM-S EM JOINVILLE (SC)



Vários bispos referenciais de comunicação e outros representantes de quase todos os regionais da CNBB participaram de uma reunião realizada das 9h as 13hs no Hotel Le Canard, em Joinville (SC). Todos vieram para participar do 10º Mutirão Brasileiro de Comunicação (Muticom) que tem início na noite desta quarta-feira, 16 de agosto no centro de convenções Expoville. Apesar de curta, o encontro teve uma longa pauta.
O grupo foi acolhido pelo Vigário Geral da Diocese de Joinville padre Ademir José Ronchi. Ele informou aos bispos e coordenadores que o bispo diocesano, dom Francisco Bach, não poderia estar presente porque se encontra em Brasília (DF), prestando serviços no “Encontro de Novos Bispos”.
No início da reunião, dom Darci José Nicioli, arcebispo de Diamantina (MG) e presidente da Comissão de Comunicação da CNBB, apresentou uma reflexão na qual lembrou o que existe de específico na missão na Pastoral da Comunicação (Pascom) e o que se espera de seus coordenadores. “Nossa Comissão considera que todos vocês, irmãos bispos referenciais e coordenadores regionais da Pascom, fazem parte diretamente do trabalho que fazemos em Brasília. Formamos um único corpo. Comissão, referenciais e coordenadores regionais“, disse dom Darci.
A Pastoral da Comunicação não tem sentido em si mesma. Essa constatação poderia nos aconselhar a não cair na tentação da auto referência. Existimos para as outras pastorais. Existimos para a comunidade. Pascom é apenas a nossa assinatura, não o nosso objetivo. Pascom é o nosso modo de fazer as coisas e não o conteúdo do que fazemos“, afirmou o presidente da Comissão para a Comunicação.
Projetos e partilha
A assessoria da Comissão, Pe. Antonio Xavier e Pe. Rafael Vieira, apresentou os principais projetos nacionais e atualizou informações sobre cada um deles: Prêmios de Comunicação, em sua edição 2017/2018; VI Seminário Internacional de Comunicação; Dia Mundial das Comunicações; Encontro Nacional da Pascom 2018; o próximo Muticom, em Goiânia (GO); novos cursos em parceria com a Rede Século 21 na modalidade EAD.
Em seguida, todos os presentes tiveram oportunidade de fazer uma partilha oferecendo ao menos dois destaques dos trabalhos da Pascom que estão sento realizados em seus regionais. Fizeram intervenções: Carolina (Norte 1); Alex (Nordeste 1); Pe. Duarte e Helder (Nordeste 4); Luciana (Oeste 1); Márcia (Sul 1); Jorge (Sul 2); Dorce (Sul 3); Olga (Sul 4); Adielson (Leste 1) e Marcos (Leste 2). Alguns bispos referenciais também participaram das discussões dos temas da reunião: dom Orani Tempesta (cardeal do Rio de Janeiro); dom Gil Antônio (Arcebispo de Juiz de Fora, em Minas Gerais); dom Plínio José Luz da Silva (bispo de Picos, no Piauí). Ainda participou da reunião, como parte da Comissão Nacional, dom Devair Araújo da Fonseca (bispo auxiliar de São Paulo).
Monsenhor Viganò e Mensagens dos Papas para o Dia das Comunicações
No encerramento da reunião dom Darci deixou aos participantes uma mensagem sobre a importância do tema central do Muticom e um apelo para que participassem, ativamente, do evento. Lembrou o quanto será interessante acompanhar a conferência de Monsenhor Dario Viganò, prefeito da Secretaria de Comunicação da Santa Sé: “Todos nós nos encantamos com o modo próprio do Papa Francisco se comunicar. Ele tem empreendido reformas importantes na Cúria Romana. Entre elas, ele empreende uma transformação histórico no campo da comunicação. E o Papa Francisco confiou ao Monsenhor Viganò a coordenação dessa transformação”.
Dom Darci ainda comunicou aos participantes da reunião o lançamento, que será feito durante o Muticom, de um volume contendo as 51 mensagens dos Papas para o Dia Mundial das Comunicações, publicado pelas Edições CNBB:  “Conto com vocês para a divulgação e o uso do volume que preparamos para celebrar os 50 anos do dia Mundial da Comunicação. Pe. Antônio Xavier, assessor da nossa comissão, se ocupar em preparar e cuidar da publicação de um volume com as 51 mensagens publicadas entre 1967, com Paulo VI até 2017, com o Papa Francisco”.
Marta Andrade, coordenadora da Pascom da Arquidiocese de Fortaleza, e mais 26 pessoas das dioceses do Regional Nordeste I (Ceará) embarcaram para Joinville, onde participam 10º Mutirão de Comunicação. 
Fonte: CNBB